segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Celebridades divergem sobre a divisão.

Para Beto Barbosa, a divisão é boa para quem mora no interior

 O cantor, Beto Barbosa, famoso pelo hit brega “Adocica”, diz ser a favor da divisão. Para ele, o interior do Estado vai ser beneficiado por uma eventual criação de Tapajós e Carajás, os Estados que serão criados caso a população aprove a divisão.
“Quem vive no interior quer a divisão porque a administração fica centralizada na região de Belém. Minha visão é para o Estado todo não só para a capital”, diz Barbosa,
Para Barbosa, com a divisão, o interiorano se beneficiará. “O Estado ganharia, especialmente, para quem não mora na região de Belém. Toda divisão é sofrida, tem período de adaptação, mas deve crescer depois. Porque hoje Estado é muito grande e mal administrado. Falta saneamento em quase todo o interior, por exemplo”, diz o cantor, que também nasceu na capital.
O cantor lembra do surgimento do Tocantins como um exemplo para os novos Estados que podem surgir. “Eu que viajo muito pelo Pará, e todo o Brasil, vi como Palmas, capital do Tocantins, se desenvolveu muito depois da divisão. As pessoas vivem melhor depois da divisão. Mas acho natural que tenha resistência”.
Rosa Maria – “É um absurdo dizer que a distância de Belém até Brasília influencia a divisão. Existem outras capitais mais longe do que Belém e nem por isso estão propondo o mesmo”, reclama Rosa Maria, nascida em Belém, a capital paraense.
“Deputados e senadores devem trabalhar mais em Brasília pelo Estado. Quando vem a base é para aparecer, ir a festas, não é para trabalhar. Isso tem de mudar porque as reportagens mostram os plenários do Congresso vazios. Eles deviam trabalhar mais ao invés de propor a divisão do Estado. Isso não é uma demanda do povo, não é legítimo e o Brasil não aguenta mais despesa. Essa discussão tira o foco de questões importantes”.
Fafá de Belém – A cantora Fafá de Belém, um dos ícones da campanha das Diretas Já, na década de 1980, também é contra. “Eu sou de um país que se chama Pará! Não acredito que se possa dividir um povo e seu sentimento”.
Para ela, esse movimento está sendo feito para satisfazer a “ganância e a vaidade” de quem não tem compromisso com o Estado e os paraenses. “Os interessados na divisão são aqueles que não têm compromisso com essa terra, que não têm uma família que mora em Santarém ou Marabá e veio para Belém estudar, e aqui criou laços, uma nova família”.
Fafá, assim como a banda Calypso, de Joelma e Chimbinha, devem ser convocados para participarem da campanha contra a divisão. Procurado pela Folha, no entanto, o casal não respondeu as solicitações da reportagem para opinarem sobre o tema.
No campo esportivo, o jogador Paulo Henrique Ganso, do Santos, que é de Ananindeua, na região de Belém, já se manifestou publicamente contra a divisão. Ele vestiu uma camiseta com uma bandeira do Pará no jorgo em que o seu time conquistou a Libertadores, em junho. Mas, segundo sua assessoroa de imprensa, ele evita dar entrevistas sobre o tema.
Outros paraenses célebres, como os atores Lúcio Mauro, Dira Paes e o estilista Lino Villaventura, também foram procurados, mas preferiram não se posicionar sobre a questão.
Fonte: Folha Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário