quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Campanha do plebiscito na TV e Rádio encerrou hoje

 No último dia da campanha na televisão as frentes pró e contra a divisão do Estado apelaram para a emoção dos eleitores na reta final para o plebiscito. A propaganda gratuita iniciou no dia 11 de novembro e encerrou na noite desta quarta-feira (7).
O programa do “Sim” começou dizendo ter sido vítima de uma campanha contra a liberdade de expressão promovida pelo governador Simão Jatene.
Nos últimos dias, o programa deu lugar ao direito de resposta obtido na justiça onde Jatene rebateu as acusações do “Sim” de que seria o responsável pela Lei Kandir – que isenta de ICMS os produtos e serviços destinados à exportação – e por outros problemas no Pará que só seriam resolvidos com a divisão em três Estados.
A campanha pró criação dos estados do Carajás e do Tapajós encerrou com relatos de pessoas de diversas regiões do Estado pedindo para que a população de Belém votasse a favor da divisão como única saída para o fim dos problemas do Pará.
O último programa da frente contrária à divisão também mostrou relatos em defesa do Pará unido, mas foi além e contou com a participação de artistas e personalidades da terra como Fafá de Belém, Dira Paes e o jogador Paulo Henrique Ganso, que se juntaram à campanha contra a divisão do Estado do Pará.
Em seu discurso final, o “Não” ressaltou que a união dos paraenses não acaba depois do plebiscito, e estendeu a mensagem à todos que votarem a favor da divisão. Encerrando a campanha, o “Não” pediu que o eleitor paraense lembrasse das riquezas do Pará e da grandiosidade do Estado na hora de votar contra a divisão.
Durante quase um mês foram transmitidos pela TV e rádio, todos os dias da semana, exceto na quinta-feira e no domingo, blocos de 10 minutos de duração divididos igualmente entre as frentes. A votação do plebiscito acontece no próximo domingo, 11 de dezembro, das 8h às 17h.
O eleitor paraense deverá responder a duas perguntas: se é a favor da divisão do Pará para a criação dos Estados do Tapajós e, em seguida, se é a favor da divisão para a criação do Estado de Carajás. O voto é obrigatório a todo paraense que tiver título de eleitor. Quem estiver fora do domicílio eleitoral terá 60 dias para justificar a ausência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário