Os comunitários de Paraná Miry estiveram hoje na casa do prefeito para pedir a cabeça de Patrick Souza, diretor de turismo, mas isso não será necessário por que ele já anunciou que vai deixar o cargo.
  O tribunal de justiça do Pará, através de uma decisão da desembargadora Marneide Merabet, mandou fechar novamente o frigorífico araticum (FRIARA), de propriedade do empresário João Alteví.
 O frigorífico funcionava com autorização de SEMMA local, e de um ajustamento de conduta firmado com o poder judiciário local, mas a desembargadora considerou que não competência da SEMMA em fazer a liberação da licença, e levou em consideração também o laudo de órgãos estaduais como a ADEPARÁ, que aponta falhas no sistema de trabalho do FRIARA.  
 Um oficial de justiça deve ate as próximas horas notificar os proprietários e lacrar o frigorífico, que tem sido alvo de constantes fiscalizações. O FRIVATA, principal concorrente alega que trabalha dentro de todas as normas de higiene e qualidade e tem sido prejudicado pela concorrência desleal.           
 Com a medida provisória da presidente Dilma Roussef que dispõe sobre alterações nos limites do Parque Nacional da Amazônia, o jornal O Impacto entrevistou o presidente da AMAT, advogado José Antunes, um dos que detém grande conhecimento da questão que já vinha ocorrendo há mais de 20 anos.
 O advogado de maneira incisiva começa a entrevista afirmando que a medida provisória é uma “enganação, uma mentira, já que não trará o benefício esperado pelos agricultores que moram nas 14 comunidades do entorno do Parque Nacional da Amazônia”.