O mercado beira rio pode ser interditado caso uma avaliação que deve ser realizada pela defesa civil aponte risco a quem procura o local. HA mais de 20 anos o logradouro não recebe melhorias.
 qualquer leigo pode observar que o marcado beira rio não oferece mais  condições estruturais de atender a população itaitubense. São problemas na estrutura, no telhado, iluminação instalação elétrica e outros. Os únicos que ainda utilizam o local como ponto de referencia são vendedores de peixe, que não reclamam temendo ter que deixar seus pontos de venda.
  A cooperativa buburé anunciou para o dia 25 deste mês uma audiência publica que vai discutir o funcionamento da balsa que faz a travessia do rio Tapajós. Depois de muitas reclamações a categoria quer detalhes sobre o que rege o contrato de concessão que permite a empresa operar.
 A falta de organização na balsa tem gerado insatisfação. São atrasos, pouca balsa para muito carro, e uma espera inquietante. 
 Esta semana a comtri anunciou que iria ampliar o numero  de agentes no final de semana para organizar a entrada e saída  de veículos. Mais estas medidas não são suficientes na visão da cooperativa buburé. O diretor Ribamar Aguiar alega que falta a empresa cumprir sua parte, ofertando um serviço de melhor qualidade a população.