Concursos: Pará oferta 4 mil vagas em 2012

 No Pará, mais de 4 mil estão sendo ofertadas em vários níveis de escolaridade por meio de concurso público. Só na Região Metropolitana de Belém, existem quase duas mil oportunidades. Existe ainda a expectativa de abertura de mais 1.600 vagas no Estado, desta vez para as Polícias Militar e Civil.

Alguns concursos estão sendo esperados ansiosamente, como os da Polícia Federal, Caixa Econômica, Polícia Rodoviária Federal e Petrobras. O primeiro ofertará cerca de 1,2 mil vagas para nível superior – já autorizadas pelo Ministério do Planejamento. Existem ainda 328 vagas que estão previstas para agentes administrativos da PF. Em relação aos demais, os próprios órgãos, que não necessitam de autorização do governo federal para realizar as seleções por terem orçamento próprio, divulgaram que realizarão concursos em 2012. A Petrobras realizará, por exemplo, 02 certames: para cargos de nível médio/técnico e superior. Com previsão de abertura de admitir 17 mil novos empregados até 2015, conforme o Plano de Negócios.

A presidente Dilma Roussef autorizou oferta de 1.500 vagas em concurso da Polícia Rodoviária Federal para contratação de 1.500 policiais rodoviários. Ainda em nível federal, 3 ministérios tiveram concursos autorizados no apagar das luzes de 2011: Ciência, Tecnologia e Inovação; Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; e Planejamento.

Em relação à Defensoria Pública da União, Banco Central e Ministérios da Agricultura; Trabalho e Emprego; Fazenda, ainda é preciso autorização do Ministério do Planejamento para abrir as seleções ainda este ano, mas de acordo com informações das instituições, existe a probabilidade de que os certames sejam realizados ainda no segundo semestre. Por outro lado, as agências reguladoras do governo federal, como a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) - que teve concurso para 46 vagas autorizado -, Agência Nacional de Cinema (Ancine) e a Agência Nacional do Petróleo (ANP) aguardam apenas a liberação do orçamento.

PREPARAÇÃO

Que dedicação, planejamento e renúncia são algumas características que deveriam ser inerentes aos candidatos a qualquer cargo público ofertado por meio de concurso não é mais nenhuma novidade. Estas regras fazem parte do cotidiano da professora Aline Costa, 37 anos. Apesar de ter construído uma carreira no magistério acredita que a estabilidade proporcionada pelo concurso público ainda é o melhor caminho para a garantia da qualidade de vida.

Aline é casada, tem uma filha, atua como professora na rede pública de ensino e está estudando em um curso preparatório para concorrer a uma vaga como assistente administrativa de nível médio da prefeitura de Belém. “Preciso garantir um futuro para minha fillha e esta oportunidade me pareceu razoável, tendo em vista a carga horária não ser massante e o salário interessante”, contou a mulher.

Assim como a professora, o autônomo Adriano Rodrigues, 27 anos, pretende garantir uma vaga na gestão pública. Casado e com 02 filhos ainda crianças acredita que, caso seja aprovado, terá um salário mais digno, além da oportunidade de construir uma carreira. “Me matriculei há poucos dias no cursinho preparatório para o concurso da Guarda Municipal de Belém e vou conciliar meu trabalho aos estudos para garantir a aprovação”, explicou Adriano. (Diário do Pará)

0 comentários:

Postar um comentário