Esquartejador de Uruará não será julgado na cidade.

 O autor de um dos crimes mais bábaro já ocorrido na região de Uruará, não poderá ser julgado no município por já ter sido condenado a medidas de reeducação social quando ainda era menor na época do crime, em 2008.Gilberto Alves Martins (na foto), 18 anos, foi preso, na noite  de terça-feira (17) de janeiro desse ano, por policiais da Seccional da Cidade Nova, região metropolitana de Belém. O acusado havia assaltado na tarde anterior uma loja de confecções em Ananindeua. O jovem é o principal acusado de esquartejar a jovem Letícia Menescal de Araújo, de apenas 15 anos, no ano de 2008, aqui no município de Uruará.
Pelo crime bárbaro Açougeiro havia sido condenado a medidas sócio-educativas e deveria permanecer até os 21 anos de idade no centro de recuperação em Santarém, de onde fugiu após alguns meses de reclusão.
Procurado pela nossa reportagem o juiz titular da comarca de Uruará, Vinícius Pedrassoli, disse que não há a possibilidade de Gilberto voltar a Uruará para ser julgado pelo crime, pois já foi julgado, segundo o juiz apenas irá informar sobre o crime bárbaro de repercussão que ele cometeu aqui em Uruará a comarca da região metropolitana de Belém, onde o Açogueiro deverá ser julgado pelo crime que cometeu em Ananindeua, para que o julgamento tenha um peso maior em caso de condenação. Caso ele não seja condenado o juiz Pedrassoli foi enfático ao dizer que determinará o retorno do criminoso para o centro de recuperação em Santarém, de onde ele fugiu, para cumprir a medida de reeducação a qual foi condenado.
Garimpando em  O Regional

0 comentários:

Postar um comentário