segunda-feira, 30 de julho de 2012

Técnicos fazem perícia em casa de Munduruku

Peritos do Instituto de Criminalística do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves estiveram no dia 24 na casa onde o índio Leo Akay Munduruku teria sido assassinado, no município de Jacareacanga, no oeste do Pará, em busca de algum vestígio do crime. Não há previsão de resultado do laudo.
A técnica utilizada pelos peritos foi a luz forense, onde utilizam uma substância chamada de "luminol" que dá o contraste e detecta vestígios de sangue.
Pelo menos seis pessoas participaram direta e indiretamente do crime, entre eles traficantes de drogas da região.

O CASO
O índio Leo Akay Munduruku foi assassinado a pauladas e facadas, durante um assalto, em junho deste ano. O crime provocou revolta entre os Munduruku, que chegaram a invadir o quartel da Polícia Militar e atearam fogo ao prédio.
Os índios pediram que os assassinos fossem entregues a eles para que os próprios julgassem e condenassem os assassinos, mas o pedido foi negado pelo Governo.
Leo Akay fiscalizava para os caciques da tribo a quantidade de ouro retirada do garimpo instalado na terra indígena e teria em seu poder três pepitas de ouro, o que pode ter motivado o assalto e morte.
(DOL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário