terça-feira, 14 de agosto de 2012

Polícia Civil já tem suspeito de manobra aérea arriscada

Pelo colapso no fornecimento de energia, prejuízo pode ultrapassar R$ 30 mil
O domingo de sol na praia do Paraná Mirim, em Itaituba, Oeste do Estado, por pouco não termina em tragédia. Um piloto, que ainda não teve o nome divulgado pela polícia, fez um vôo rasante e acabou rompendo a fiação que abastece a praia de energia elétrica. A entender, a praia fica localizada em frente à vila, separada por um pequeno braço de rio de aproximadamente 120 metros de largura. Para suprir a demanda de energia e manter as bebidas geladas para os veranistas, no ano passado, a Divisão de Linha Viva do Setor de Iluminação Pública da Prefeitura instalou um poste na praia e fez a fiação.
Porém, neste Ita Verão 2012, aconteceu o fato, considerado lamentável por cem porcento das pessoas que estavam na praia, na expectativa pela apresentação das atrações do principal evento do balneário itaitubense. Foi quando o piloto, em uma manobra extremamente arriscada, fez o vôo rasante e arrebentou a fiação, deixando o palco, a praia e dezenas de barraqueiros sem energia, além de provocar um grande susto nas famílias que curtiam o domingo no Paraná Mirim.
Já na manhã de segunda-feira, o presidente da Associação de Moradores da vila e coordenador do Ita Verão 2012, capitão Pedro Sousa, foi até a Seccional de Polícia, onde pediu providências e registrou um Boletim de Ocorrência. De acordo com o delegado José Dias Bezerra, já há um nome suspeito de ter provocado o incidente. “O nome foi conseguido através do prefixo do avião, que foi visto por centenas de banhistas”, diz o delegado. “Por enquanto, não podemos divulgar maiores detalhes, mas, em princípio, entendemos que o caso sugere um Termo Circunstaciado de Ocorrência (TCO) pelo risco oferecido aos freqüentadores e, na área cível, o ressarcimento dos danos materiais; os prejuízos provocados pela interrupção do fornecimento de energia elétrica”, complementa.
O coordenador do Ita Verão também fez contato com a empresa proprietária do avião e foi orientado a comparecer ao escritório na tarde de hoje (14) para que seja discutida uma forma de ressarcir os valores que os barraqueiros deixaram de faturar com o incidente. Segundo levantamento da Associação, os prejuízos ultrapassam os R$ 30 mil.
Fonte:portaltvtapajoara

Nenhum comentário:

Postar um comentário