quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Réu Confesso: Vaqueiro confessa assassinato de caseiro

Francisco alegou ter sido agredido pelo caseiro
Francisco de Mendonça Lima já estava detido sob suspeita de envolvimento na morte do caseiro e acabou confessando ter assassinado o colega de trabalho com coronhadas de uma cartucheira.
O assassinato aconteceu na madrugada de segunda-feira, mas o corpo de Arnaldo Gonçalves, de 52 anos, só foi encontrado pela manhã. Ele estava semi-submerso em um açude que fica na propriedade em que trabalhava há algum tempo.
No curso do levantamento de local de crime, a polícia encontrou um óculos próximo ao corpo de Arnaldo, que também apresentava lesões na cabeça e marcas de violência pelo corpo. O objeto foi identificado como sendo de Francisco de Mendonça Lima, também de 52 anos, que trabalhava na propriedade como vaqueiro. Francisco foi levado para prestar esclarecimentos e, em primeiro depoimento, negou qualquer envolvimento no homicídio.
As investigações prosseguiram e a Polícia Civil decidiu por tombar um inquérito para apurar o caso com maior profundidade. Submetido a novo interrogatório e com todas as evidências apontando para ele, o vaqueiro Francisco de Mendonça resolveu admitir a culpa. Ele confessou que matou o caseiro usando a coronha desta espingarda. O relato feito à TV Eldorado (Band) pelo acusado dá conta de que ele chegou à chácara pela madrugada e encontrou o caseiro embriagado. Ao reclamar da atitude do colega de trabalho, Francisco teria sido ameaçado com a espingarda e entrou em luta corporal com Arnaldo. A arma disparou, mas não atingiu ninguém. Francisco conseguiu arrebatar a espingarda das mãos do caseiro e, em seguida, desferiu vários golpes, matando o parceiro e atirando o corpo de Arnaldo Gonçalves no açude.
Francisco permanece recolhido à cela temporária da 19ª Seccional de Polícia e o inquérito está encerrado. Segundo o delegado Cléber Pascoal Silveira, que preside o inquérito, o procedimento será encaminhado ao Judiciário ainda hoje e, com a homologação do flagrante, o vaqueiro ‘desce’ para a Cadeia Pública Municipal.
Fonte:portaltapajoara 

Nenhum comentário:

Postar um comentário