segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Disfarçado: policial que matou vigilante deixa Santarém

Disfarçado: policial que matou vigilante deixa Santarém  O policial rodoviário Carlos André da Conceição Costa, após matar o vigilante David Martins, deixou Santarém de avião no início da tarde desta segunda-feira, 24.

O policial confessou o crime, mas disse que foi em legítima defesa e foi liberado pela polícia. No momento do embarque, Carlos André estava sorridente e fardado como policial militar e não deu entrevistas.


Ele saiu pelos fundos da delegacia escoltado pela Polícia Militar. “Havia o risco de uma possível agressão à integridade física dele. Ele usou a farda da PM justamente para se disfarçar e não chamar a atenção das pessoas que estavam aqui fora (da delegacia). Chamando a atenção, poderiam destruir uma viatura ou agredir o cidadão que está respondendo junto à justiça”, informou o comandante da Z-Pol, Wilton Chaves.


Sobre a liberação do policial, o delegado de Polícia Civil, Thiago Rabelo justificou que “ele não foi detido. Ele veio na delegacia, comunicou o fato, foi tombado o procedimento e ele vai responder por homicídio. A questão de que se ele agiu com dolo (intenção de matar) ou se ele agiu em legítima defesa, isso vai ser apurado nos autos. Quanto à situação de viajar ou não, eu tomei conhecimento agora”, informou.

Carlos André atirou no vigia David Martins, na manhã desta segunda-feira, 24, na Praça do Mirante. De acordo com o policial, ele pensou que David estava coagindo um grupo de pessoas, deu ordem de prisão e disparou depois de, segundo ele, ter sido desacatado. O crime revoltou familiares e amigos do vigilante que ficaram de plantão em frente à delegacia seccional de Santarém.

“Esse cara vai sair daqui solto, impune? Eu não aceito uma coisa dessas, não. A justiça tem que ser para todos. Se fosse eu que tivesse feito isso com um policial federal, eu teria sido fuzilado”, reclama o irmão da vítima, Antonio Márcio Navarro.

A vítima
David Martins era casado, vigia contratado pela Prefeitura de Santarém e deixa dois filhos. No momento do assassinato, David portava uma arma calibre 38 com a numeração raspada.

A Prefeitura de Santarém enviou no final da tarde uma nota à imprensa informando que a empresa Castro e Santos Segurança e Serviços, da qual David Martins era um dos sócios,
tinha um contrato de prestação de serviços de segurança desarmada com a Prefeitura para atuação na Praça do Mirante e outros logradouros da cidade. O contrato foi firmado com a empresa, pela Secretaria de Infraestrutura de Santarém.

O velório do segurança está sendo feito na residência dele, na Rua Olavo Bilac, bairro Santarenzinho.

Com informações de Rômulo D’Castro

Nenhum comentário:

Postar um comentário