sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Índios ameaçam matar juiz e promotora

Lideranças da etnia Munduruku revoltadas com descaso da Justiça
Após seis lideranças indígenas de aldeias do Alto Tapajós reunirem-se com o Juiz titular da Comarca do município de Jacareacanga, no Pará, e agendarem uma reunião com todas as lideranças da etnia Munduruku da região, proferiram ameaças verbais ao Juiz, dizendo que, se caso os assassinos presos acusados de matar  o índio LELO AKAI sejam liberados, eles irão cortar a cabeça do Juiz e da Promotora para exporem em praça pública.

Mediante essas circunstâncias, Policiais Militares do Grupo Tático de Operações do 15º BPM, foram designados pelo comandante do CPR-10 de Itaituba, Coronel Josafá a se deslocarem a Jacareacanga para prestar segurança ao Juiz da Comarca do Município. Durante a “bendita reunião”, a qual não aconteceu por intervenção do Sr. Procurador da República, Felício Pontes, o qual se comprometeu com o povo indígena de após as eleições reunir a cúpula geral das policias e sanarem todos os entraves.
A Revolta dos índios começou quando cerca de 4 pessoas assassinaram brutalmente o indígena LELO AKAI MUNDURUKU, depois os índios revoltados invadiram e queimaram o destacamento da Polícia Militar no Município. Na ação os índios levaram algumas armas de uso exclusivo da PM. Para tentar amenizar a situação o superintendente da Polícia do Tapajós, delegado Ednaldo Sousa e dois funcionários da FUNAI se deslocaram ao Município, mas foram feitos de reféns. Os três só foram liberados depois da presença do Secretario de Segurança Publica do Estado, onde várias promessas foram feitas aos indígenas, mas parece que nada está sendo cumprido.
Com isso, os indígenas já estão se revoltando novamente. Informações ainda não confirmadas dão conta que uma nova ação poderá acontecer no município de Jacareacanga, dessa vez com mais intensidade. A ameaça ao Juiz responsável pela Comarca de Jacareacanga aconteceu na semana passada e acende um alerta para as autoridades do Estado, os índios já demonstraram sua força, com as leis do nosso Brasil que privilegia os indígenas a situação pode se complicar ainda muito, o aviso já foi dado.
O primeiro capítulo dessa novela foi a morte de LELO AKAI; em seguida a destruição do destacamento da PM; índios fazem de refém delegado e funcionários da FUNAI; Secretário de Segurança Pública do Estado Luiz Fernandes vai a Jacareacanga e negocia com os índios, Simão Jatene recebe lideranças indígenas, promessas não são cumpridas e Juiz e Promotora são ameaçados por lideranças indígenas. Qual será o próximo capítulo dessa História? Com informações de Júnior Ribeiro.
Por: Nazareno Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário