O acidente no quilometro 3 da rodovia transamazônica aconteceu por volta das vinte horas da noite de sábado, o condutor de uma pick up S 10 que seguia no sentido centro km 05 capotou depois de desviar de um motociclista que terra invadido a pista de maneira imprudente e depois desviado de uma pedestre que fazia caminhada,  no veiculo estavam o motorista Ivanaldo silva e um passageiro conhecido como joinha que não permaneceu no local  após o acidente, saíram sem ferimentos graves.
  Licitação, pregão, improbidade. Com a onda de escândalos na Assembleia Legislativa do Pará, essas palavras tomaram conta do noticiário e das redes sociais. Mas afinal, para que servem esses processos? É possível evitar fraudes nas contratações de obras e serviços pelo setor público? Para responder a essas questões o DIÁRIO foi ouvir o professor de Direito Administrativo Paulo Pinho. Advogado há 40 anos, ele explica detalhes do intricado processo de escolha de fornecedores pela setor público e afirma que no direito moderno, autoridades não vão mais ser perdoadas sob a alegação de que desconheciam o fato.
P: Para que serve o processo licitatório?
 O professor Anísio Uchoa, que ensina na Escola Polivalente de Altamira, foi assaltado e espancado na madrugada de ontem, por dois homens supostamente conhecidos da vítima. De acordo com informações fornecidas pelo professor, que se encontra internado no Hospital Regional da Transamazônica, na noite de quinta-feira passada, ele foi procurado em sua residência por um conhecido de prenome Jeferson, que estava acompanhado de outro homem que a vítima afirma não conhecer. Depois que os dois indivíduos entraram na casa do professor, eles dominaram e amordaçaram a vítima e o colocaram dentro de seu veiculo, um Cross Fox. Os dois levaram da residência um notebook, R$ 1600 em espécie e cartões de crédito pertencentes a Anísio Uchoa.
Na manhã deste sábado, 11, houve troca de tiros entre a polícia civil e um integrante da quadrilha que assaltaria o banco da Amazônia de Placas, o foragido, Eduardo Lopes da Sílva ou Antonio Lopes da Silva - Daniel - Cabeça. O assaltante teria ido durante a noite dessa sexta-feira, 10, na casa de outro integrante que já está preso, Francisco José Moreira do Nascimento, para eliminá-lo, por que teria “entregado” o bando.
O confronto aconteceu na zona sul da cidade de Uruará, na Rua Deodoro da Fonseca, entre as Avenidas Pedro Alvares Cabral e Vale do Xingu. Durante a troca de tiros o elemento, portando uma pistola calibre 380, conseguiu escapar da polícia com o apoio de outro elemento que o aguardava no travessão 180 sul e empreendeu fuga em direção a rodovia Transamazônica. Por falta de uma melhor viatura a polícia não pode fazer a perseguição ao bandido.
No final da tarde de sexta-feira (10), o escritório da Banda da Arena foi alvo de assalto. Dois homens entraram no escritório, localizado na Travessa Frei Ambrósio, no bairro do Caranazal, em Santarém, fortemente armados e anunciaram o assalto.
O empresário da banda, Washington Gomes Canto, foi colocado como refém. Tudo ocorreu no momento que o empresário Canto realizava o pagamento dos funcionários. Os assaltantes levaram 12 mil reais em dinheiro, 3 celulares e um cordão de ouro pesando 35 gramas, além de dinheiro e celulares de todos os músicos da banda que estavam recebendo o pagamento.
 No Pará, mais de 4 mil estão sendo ofertadas em vários níveis de escolaridade por meio de concurso público. Só na Região Metropolitana de Belém, existem quase duas mil oportunidades. Existe ainda a expectativa de abertura de mais 1.600 vagas no Estado, desta vez para as Polícias Militar e Civil.