De um lado a oposição representada por César Aguiar tenta conscientizar os demais parlamentares a votarem pela aprovação, e do outro lado Luis Fernando Sadeck, lutando pela rejeição das contas. Peninha usa o argumento de que o ex prefeito deixou de repassar para a previdência social mais de três milhões de reais e teria se apropriado desse recurso já que não houve justificativa onde foi aplicado.
 César Aguiar também tem sua tese de defesa, e exige que o assunto seja amplamente discutido para que os parlamentares não cometam injustiça com o ex prefeito. César também alegou que o atual gestor não estaria repassando para a previdência social os recursos referentes aos descontos da folha de pagamento dos servidores e  do Patronal, e desafiou Peninha a apresentar provas de que tudo está sendo feito como determina a lei.


Danilo Miranda( comissão eleitoral) e Aparecido( Futuro presidente).
  A eleição para escolha da presidência da AMUT  será realizada no município de Ruropolis, Danilo Vidal de Miranda, prefeito do município de trairão, é que está presidindo a comissão eleitoral, a eleição está prevista para as 15 horas da próxima sexta feira.
 A eleição para a escolha da presidência da  associação dos municípios da transamazônica acontece a cada dois anos para este pleito esta apontado o nome do prefeito aparecido florentino do município de Ruropolis, até o momento somente a chapa encabeçada por aparecido foi cadastrada.
  A Justiça Federal declarou inválida a licença de instalação da usina hidrelétrica Teles Pires expedida pelo Ibama, e suspendeu as obras do empreendimento, em especial as detonações de rochas naturais na região do Salto Sete Quedas, segundo a decisão ocorrida na segunda-feira. A suspensão atendeu ao pedido do Ministério Público, que alegou que o Ibama emitiu as licenças prévia e de instalação do empreendimento "sem consulta livre, prévia e informada aos povos indígenas". Além disso, o MP alega que a obra viola áreas consideradas sagradas para os povos indígenas.


 No ultimo domingo, dia 25/03/2012, foram presos em flagrante delito por trafico de drogas e associação ao trafico, os nacionais, JORGE ALVES DA SILVA, VULGO “CABELUDO”, brasileiro, natural de Itaituba/Pa, nascido em 16/03/1960, filho de Rosa Maria da Conceição Alves e Antônio Alves da Silva, profissão não informada, sem documento, residente no município de Itaituba/Pa, na rua 11º, bairro Cidade Alta; ANTÔNIO MARCOS MORENO DA SILVA, vulgo “MARCÃO”, brasileiro, natural de CODO/MA, nascido em 07/10/1979, filho de Moreno da Silva e Etervina Dias da Silva, vigia do posto de saúde, Rg nº 3376299, residente no município de Rurópolis, na rua São pedro, nº 50, Comunidade Divinópolis e JOÃO BORGES DE ASSUNÇÃO vulgo “CIGARRÃO”, brasileiro, Rgº 222598, agricultor, natural de Lago da Pedra/Ma, nascido em 24/01/1957, filho de Bento Borges de Assunção e Lucia Borges da Silva, residente no município de Rurópolis, rua São Paulo S/n, comunidade de Divinópolis.

Os caciques eram contra a proposta da empresa, mas alguns indígenas e outros vereadores do município assinaram o contrato”, esclarece o cacique Osmarino Manhoari Munduruku.

Para compreender a polêmica “venda de direitos sobre créditos de carbono” da propriedade dos indígenas munduruku à empresa irlandesa Celestial Green Ventures, a IHU On-Line conversou com o cacique Osmarino Manhoari Munduruku, que há dez anos vive em uma das 120 aldeias localizadas no município de Jacareacanga-PA. Ele conta que, em reunião realizada em agosto de 2011, na Câmara Municipal da cidade, indígenas, vereadores e representantes da Funai ouviram as propostas da empresa estrangeira, mas que as lideranças não assinaram contratos. Segundo ele, por não concordarem com as propostas, as “índias guerreiras quase bateram nos representantes da empresa”.