Pela primeira vez no estado as policias civil e Militar conseguem desbaratar uma quadrilha especializada em clonagem de cartões, com a prisão do “Chefão” que é procurado em vários estados brasileiros. 
Após receber várias denuncias do Bradesco sobre “sumiço de dinheiro” da conta de alguns correntistas entre eles a vitima mais recente, o empresário do Agronegócio Ireno Brito que havia perdido trinta mil reais num saque feito pela quadrilha em Itaituba. 
O serviço de inteligência do CPRX de Itaituba que tem no comando o Ten. Coronel Josafá após vários dias de monitoramento conseguiu efetuar a prisão de dois dos cinco elementos que formam a quadrilha. 

  Sansão Lopes de Moraes Filho teve sua residência invadida pelos assaltantes por volta das 3 horas da manhã de sábado, ele conta que quando acordou dois homens armados já estavam no interior da casa e armados anunciaram o assalto.
 Segundo o empresário, enquanto dois assaltantes estavam no interior da residência outros dois ficaram do lado de fora dando cobertura. Depois de recolher tudo que queriam os assaltantes colocaram Sansão e a esposa em um dos carros do empresário e saíram a procura de mais dinheiro.

Foto// Felype Adms.


No início da noite deste sábado (12), o Senador Jader Barbalho e o Prefeito de Ananindeua Helder Barbalho, chegaram a Altamira para a pré convenção do PMDB, acompanhados do líder do PMDB na Câmara deputados Parcifal Pontes. O evento reuniu centenas de pessoas em uma casa de shows da cidade. Ozório Juvenil presidente do partido em Altamira iniciou o cerimonial já durante a noite.

"A cidade de Altamira quer Domingos Juvenil, o município demonstra em pesquisas expontaneas que o nome de Domingos Juvenil é mais indicado para o cargo maior da cidade" enfatizou Ozório.


José Megale
O líder do PSDB na Alepa, deputado José Megale e a ex diretora da comissão de licitação da Alepa, Daura Hage, vão ser denunciados pelo promotor de justiça da área criminal Arnaldo Azevedo, que em investigação descobriu diversos cheques da Alepa assinados apenas pelo parlamentar, quando vice-presidente da Casa, e pagos pelo Banpará que dizem respeito a processos licitatórios comprovadamente – segundo o promotor – fraudulentos, de obras, serviços e aquisição de bens, nunca realizados e entregues a Assembleia.