Avião retorna a aeroporto após susto com passageiros armados   Passageiro de Itaituba estava no voo.
  A presença de quatro policiais armados dentro de um avião causou tumulto em um voo da companhia aérea Gol no início da tarde de ontem. O voo G3 1642, que tinha como destino Manaus e com escala em Santarém, saiu de Belém às 13h54 e, após 30 minutos, retornou para o aeroporto.

O motivo foi a constatação de que três homens e uma mulher estavam armados. O que a tripulação não sabia era que os quatro passageiros eram agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que retornavam de Belém para Santarém. No voo viajavam 160 passageiros.
Valdo: “Foram mais de dois dias de ‘varação’ pra fugir do trabalho escravo”
  A denúncia foi feita por três trabalhadores que conseguiram fugir de uma área de desmate, onde estavam sendo mantidos forçados.
Segundo o coronel Josafá Borges, comandante de Policiamento Regional da PM (10º CPR), a denúncia foi recebida por um grupo de policiais que desenvolvia uma operação de rotina às proximidades do distrito de Moraes de Almeida, na divisa dos municípios de Itaituba e Novo Progresso, Oeste do Estado. De acordo com a denúncia, pelo menos trinta trabalhadores estariam sendo forçados a trabalhar em condições sub-humanas em uma derrubada de centenas de hectares, sob as ordens de um homem identificado apenas pelo pré-nome Geovane, que seria dono de um hotel em Novo Progresso.