Para as eleições deste ano, 39 municípios paraenses solicitaram reforço das tropas federais para as áreas de segurança e logística do Estado. O pedido foi encaminhado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE), com base no planejamento estratégico elaborado pelo Governo do Estado, que será responsável pela segurança do pleito, e ainda deve ser submetido para aprovação do plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), antes de ser encaminhado ao Estado. Nos demais municípios, a segurança será feita pelo contingente das Polícias Militar e Civil do Estado.

Caiapós liberam rodovia BR 163 após  acordo com a SESAI   Apos uma longa conversa com o Secretário de Saúde Indígena Sr. Antônio Alves de Souza, os Índios Caiapós liberam a BR-163.  Nesta quarta-feira (08/08) por volta das 17:00 horas foi dada a ordem para a liberação da estrada.
   Com Relação à construção do Distrito que os Índios estão solicitando, Antônio Alves disse que vai levar esta solicitação para o Ministério da Saúde, por que esta é uma questão mais demorada depende segundo ele, de projeto de lei do Senado e que também vai levar para o alto escalão para que seja atendida.

Por 60 votos a 4, sem abstenções, o Plenário do Senado aprovou há pouco mais um item do esforço concentrado de votações – a Proposta de Emenda à Constituição 33/2009, que passou a ser chamada de PEC dos Jornalistas por tornar obrigatório o diploma universitário para o exercício da atividade jornalística. A proposição – aprovada em primeiro turno em novembro, por 65 votos a 7 – resgata a exigência de curso superior de Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, para o exercício da profissão – a obrigatoriedade havia sido derrubada em 2009, por decisão colegiada do Supremo Tribunal Federal (STF). A matéria segue para a Câmara, onde terá de repetir a tramitação do Senado (dois turnos de votação, com intervalo de cinco sessões entre eles).
Francisco alegou ter sido agredido pelo caseiro
Francisco de Mendonça Lima já estava detido sob suspeita de envolvimento na morte do caseiro e acabou confessando ter assassinado o colega de trabalho com coronhadas de uma cartucheira.
O assassinato aconteceu na madrugada de segunda-feira, mas o corpo de Arnaldo Gonçalves, de 52 anos, só foi encontrado pela manhã. Ele estava semi-submerso em um açude que fica na propriedade em que trabalhava há algum tempo.