quarta-feira, 19 de junho de 2013

9º BEC abandona obras na Transamazônica

Rodovia Transamazônica
Rodovia Transamazônica
Desde o ano de 2009 o Governo Federal, através do DNIT, vem gastando dinheiro público no asfaltamento de 30 quilômetros da Rodovia Transamazônica, trecho que liga Miritituba ao Distrito Municipal de Campo Verde (km 30), no município de Itaituba, Oeste do Pará. O serviço ficou sob a responsabilidade do 9º BEC, que realizou parte do asfaltamento e contratou a empresa TRIMEC (empresa do Mato Grosso) para concluir o serviço. Ocorre que, a obra, que no contrato era para ser concluída em três anos, até hoje está parada, e o que foi realizado pelo Exército (9º BEC) está desabando.

Tal fato vem ocorrendo na altura do Km 3, sentido Miritituba-Campo Verde, onde o serviço de terraplenagem cedeu, abrindo no asfalto grandes crateras, comprometendo grande parte do serviço de terraplenagem efetuado naquele trecho. O serviço mal feito pelo Exército tem colocado em perigo a vida dos usuários naquele perímetro da rodovia. A obra estava na época orçada em R$ 39 milhões.
Em várias partes do Rodovia o asfalto já não presta mais
Em várias partes do Rodovia o asfalto já não presta mais
A denúncia foi feita pelo ex-vereador Luiz Fernando Sadeck (Peninha). “No ano de 2012, quando ainda estávamos na Câmara de Vereadores, encaminhamos várias denúncias pedindo providências do DNIT e do Tribunal de Contas da União. Hoje, as obras de asfaltamento estão abandonadas, faltando cerca de 6 quilômetros para conclusão, e a firma TRIMEC não dá nenhuma satisfação. Lama e buracos tomam conta desta rodovia e agora no verão, a poeira vai imperar. Esperamos que o TCU ou CGU tomem providências no sentido de cobrar do DNIT e do 9º BEC a conclusão da obra, pois o que estamos vendo é o desperdício do dinheiro público, uma vez que a obra ainda não foi nem concluída e já está sendo deteriorada. Nunca foi exigida pressa, mas é inadmissível que levem tanto tempo e dinheiro para efetuar uma obra sem qualidade”, declarou Peninha.
O perigo ronda os motoristas que trafegam pela Rodovia
O perigo ronda os motoristas que trafegam pela Rodovia
Essa situação remete a dois adágios populares: “Tempo é dinheiro” e “o preguiçoso trabalha duas vezes”. Quanto mais tempo levam na construção, mais dinheiro levam do nosso bolso, não haveria problema se fosse executado um trabalho bem feito, mas não é essa a realidade aparente! A pergunta que fica é: a sociedade pagadora de impostos vai ser penalizada por uma falha alheia? Se assim for, é cômodo aos favorecidos economicamente, manter baixa a qualidade dos serviços e obras! Trabalhando duas vezes, eles recebem (lucram) duas vezes, e a sociedade é prejudicada infinitas vezes! O que se pede é PROVIDÊNCIA, a sociedade clama por EFICIÊNCIA!
Fonte: RG 15/O Impacto

Nenhum comentário:

Postar um comentário