segunda-feira, 24 de junho de 2013

Sema analisa obras do terminal da Cargill em Itaituba

 A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) publicou na edição desta segunda-feira, 24, do Diário Oficial do Estado, anúncio informando que no dia 3 de junho foi protocolado o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto de Meio Ambiente (EIA/Rima) referentes ao empreendimento de Estação de Transbordo de Cargas ETC Cargill, a ser implantado no distrito de Miritituba, em Itaituba, Região de Integração Tapajós. A Cargill Agrícola S.A., responsável pelo empreendimento, tem interesse na obtenção de licença ambiental e de acordo com a Política Estadual de Meio Ambiente, a Sema determina o prazo de 45 dias para solicitação de Audiência Pública, a contar da data de publicação dessa comunicação.


A estação fluvial a ser construída no distrito de Miritituba permite uma ação combinada entre os modais rodoviário (BR-230, Transamazônica e BR-163, Santarém-Cuiabá) e hidroviário (hidrovia Tapajós-Amazonas), dentro da Zona Comercial Industrial e Portuária, prevista no Plano Diretor do município de Itaituba. A Cargill pretende com o empreendimento em Itaituba contribuir com a melhoria do sistema de escoamento da produção agrícola da região norte do Mato Grosso, a partir da consolidação de um meio de transporte seguro na região amazônica. O empreendimento terá que atender as exigências da Sema no âmbito socioeconômico e ambiental.

O estudo apresentado pela Cargill mostra que a obra será constituída de estações de carregamento, que serão instaladas sobre um píer flutuante, de forma que seja possível posicionar barcaças em ambos os lados. Na área administrativa ocorrerá todo o trabalho com a documentação relativa às operações do terminal, abrigando também o ambulatório, vestiário e refeitório.

Para o desenvolvimento das atividades operacionais da ETC Cargill serão implantadas edificações de portaria, abrigo de motoristas, casa de amostras, almoxarifado e oficina. A previsão para a instalação e operação é a partir de 2014, e será projetada para permitir a movimentação de até quatro milhões de toneladas por ano, de soja, milho, feijão e outros grãos, a partir do 5º ano de funcionamento.

O EIA apresenta os aspectos sociais, econômicos e ambientais da região e de como eles poderão ser afetados pela ETC Cargill. Por isso, o estudo apresenta um conjunto de medidas necessárias para evitar efeitos negativos e melhorar os aspectos positivos do empreendimento, ou seja, todas as consequências ambientais de sua instalação. A documentação referente ao Rima encontra-se disponível para consulta na Biblioteca da Sema, localizada na Travessa Lomas Valentinas, 2717, bairro do Marco, em Belém, e através do site www.sema.pa.gov.br.

Fonte: Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário