quinta-feira, 4 de julho de 2013

Denúncia – Animais são maltratados e mortos em Itaituba

Caseiro (detalhe) confirma morte de animais. Um deles teve couro arrancado
Carroceiro (detalhe) confirma morte de animais. Um deles teve couro arrancado
Os maus tratos provocados em cavalos e burros por funcionários da Prefeitura Municipal de Itaituba, no Oeste do Pará, revoltou proprietários de carroças e vereadores do Município. Cerca de 120 membros da Associação de Carroceiros foram unânimes ao denunciar que os funcionários da Prefeitura quando encontram um animal amarrado na rua para comer capim, chegam ao local, pegam o animal e o levam para uma chácara.
De acordo com o ex-vereador Luiz Fernando Sadeck, o “Peninha”, a Prefeitura de Itaituba cobra R$ 25,00 a diária e mais R$ 150 pela condução do animal até a chácara, localizada em um local afastado do centro da cidade. Ele denuncia que por não ter ninguém para cuidar dos cavalos e burros na chácara,
nos últimos dias, quatro animais morreram de fome e maus tratos.
Luiz Fernando Sadeck afirma que vai apoiar os carroceiros, para impetrarem uma ação no Ministério Público Estadual (MPE), pedindo providências contra os maus tratos dos animais.
O problema sofrido pelos animais levou os carroceiros a realizar um protesto nas ruas de Itaituba. Na tarde de quarta-feira, 03, cerca de 50 carroceiros fizeram uma concentração em frente à Secretaria Municipal de Saúde de Itaituba para protestar contra os maus tratos de animais (cavalos e burros) pela administração municipal. Os carroceiros foram recebidos pela Secretária Municipal de Saúde, Horenice Cabral, que prometeu apenas retirar a diária cobrada pela permanência de animais na chácara onde os animais ficam mantidos, que é o valor de R$ 25.00.
O Presidente da Associação dos Carroceiros do Vale do Tapajós, Alberico  Abdon da Silva, reforçou  que os animais estão morrendo de fome na chácara, para onde são levados após serem apreendidos. Alberico diz que os agentes da zoonose do Município recolhem os animais nas ruas e levam para uma chácara situada no Curral Redondo e ali sofrem maus tratos, porque não tem comida e morrem de fome.
O carroceiro Edivaldo Cajado afirmou que viu seu burro morrer de fome, porque o Município não dá comida para os animais. O Presidente da Associação dos Carroceiros, Alberico da Silva, promete denunciar ao Ministério Público os maus trados dos animais, bem como pede Justiça.
CASEIRO CONFIRMA MORTE DE ANIMAIS: Na manhã de quinta-feira, 04, nossa reportagem esteve em companhia do carroceiro Edivaldo Cajado, visitando a chácara onde ficam recolhidos os animais que os agentes da Zoonose apreendem nas ruas de Itaituba. Em companhia do caseiro fomos ao local onde os animais ficam apreendidos. Encontramos o cavalo do Edivaldo, que está ali há mais de 30 dias, muito abatido, por falta de alimento. O caseiro, que toma conta da chácara confirmou que dois animais morreram ali. O burro, inclusive ele queimou e o outro animal os urubus devoraram.
Fonte:RG 15/O Impacto

Nenhum comentário:

Postar um comentário