A loquacidade das novas gerações de magistrados completou o serviço iniciado pelo ultrassom e prosseguido por institutos de pesquisa confiáveis. Já faz tempo que é possível saber o que há em barriga de grávida e urna eleitoral. Agora também se pode descobrir o que há em cabeça de juiz.