Amaggi e Bunge se unem em investimento de logística no Tapajós

Uma joint venture entre duas grandes empresas do setor do agronegócio, a Amaggi e a Bunge, vai possibilitar a navegação em um importante corredor intermodal, oferecendo uma nova opção para transporte da crescente produção agrícola brasileira.
A sociedade proveniente da parceria irá se chamar Navegações Unidas Tapajós Ltda. (UNITAPAJÓS), com igual participação de capital das duas companhias. A nova rota de escoamento de grãos, conhecida como Tapajós – Amazonas, está localizada entre os municípios paraenses de Itaituba e Barcarena e é vista como uma alternativa as opções pelos portos do sul e sudeste do país.

Os grãos saem das fazendas e armazéns da região médio-norte de Mato Grosso e seguem de caminhão ou carreta, pela BR-163, até o terminal de trasbordo de Miritituba, distrito de Itaituba. De lá, as embarcações seguem até o município de Barcarena, onde o produto é transferido para navios de grande calado para Europa e Ásia.
NOVA TECNOLOGIA
O transporte será realizado inicialmente com uma frota de 50 barcaças e dois empurradores de 6 mil HP a diesel elétrico. A previsão é transportar até 2 milhões de toneladas de grãos em 2014 e, a partir de 2015, com a incorporação de mais 40 barcaças e um empurrador de 6 mil HP, atingir a plena capacidade de 4 milhões de toneladas. “Todas as barcaças são equipadas com uma cobertura rígida exclusiva, de alumínio, projetada pela nossa equipe e desenvolvida por um fabricante da Bélgica”, explica Jorge Zanatta, diretor da Amaggi Navegação. “É uma tecnologia nova no Brasil, que proporciona maior segurança e qualidade”, complementa.
A Amaggi possui larga experiência em transporte fluvial de grãos e operações portuárias. A companhia opera, há 17 anos, um dos principais corredores hidroviários do país, o Madeira-Amazonas, por onde escoa, todos os anos, aproximadamente 2,8 milhões de toneladas de grãos. Já a Bunge, com todo conhecimento acumulado na área de logística ao longo de seus mais de 100 anos de atuação no Brasil, investiu também na construção de dois terminais portuários – um para transbordo, em Miritituba, e outro em Barcarena para exportação dos grãos. “A Unitapajós é responsável pela operação de navegação que une essas duas pontas,com os mesmos conceitos de inovação e preocupação com a sustentabilidade que norteiam as operações nos nossos terminais portuários e unidades produtivas”, diz Junior Justino, diretor de Logística e Agronegócio da Bunge Brasil.
VIAGEM-TESTE
Em maio de 2013 a Unitapajós realizou uma viagem-teste no percurso entre Miritituba e Barcarena, utilizando um comboio completo, formado por 20 barcaças e transportando 40 mil toneladas de grãos. Essa viagem foi uma exigência da Marinha para a concessão da autorização de navegação regular na hidrovia, que saiu no início de 2014. Na oportunidade, as 598 milhas náuticas – que equivalem a mais de 1.000 km – foram percorridas com total segurança, sob orientação de cartas náuticas que fornecem informações hidrográficas importantes, como a profundidade em cada trecho do percurso utilizando como base os índices dos últimos dez anos.

0 comentários:

Postar um comentário