Deputado denuncia que policiais militares estariam sofrendo retaliações


O deputado Nélio Aguiar (DEM) usou a tribuna na terça-feira, 03, na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), para cobrar do comando Geralda Polícia Militar (PM) que tome as providências para publicar no boletim da PM a extinção de todo e qualquer processo administrativo ou ações do conselho de disciplina resultante do movimento de paralisação dos praças da Polícia Militar.

Segundo o parlamentar, a extinção do processo está amparada na lei da anistia promulgada pela Alepa. “Vários praças da PM vem sofrendo ameaças e retaliações por participarem do movimentopor melhoria na remuneração e das condições de trabalho, desrespeitando a Lei da anistia e o acordo que colocou fim a paralisação, onde um dos itens da pauta era que nenhum praça sofreria retaliação ou punição disciplinar”, defendeu o parlamentar.
A paralisação iniciada no final do mês de março passado, durou seis dias. Entre as conquistas além da anistia, os PMs, tiveram aumento de 20% da gratificação por risco de vida e o auxilio-fardamento anual para sargentos e subtenentes. “Não aceito retaliação e se nenhuma providência for tomada estarei solicitando a convocação do Comandante Geral da PM para se explicar na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia”, disse Nélio Aguiar.
Fonte: RG 15/O Impacto e Kátia Aguiar

0 comentários:

Postar um comentário