sexta-feira, 11 de julho de 2014

Presidiário que fugiu em aeroporto é achado, reage e é baleado pela polícia

 O presidiário Jamerson Ferreira Viana, de 29 anos, conhecido como “Tibuca”, e quefugiu ao desembarcar no Aeroporto Maestro Wilson Fonseca em Santarém onde viria participar de uma audiência, foi encontrado pela polícia na noite desta quinta-feira (10) nas matas próximo ao Lago do Juá, na Rodovia Fernando Guilhon, que dá acesso ao aeroporto Maestro Wilson Fonseca. De acordo com a polícia, ele reagiu à prisão e foi baleado.

Jamerson foi levado ao Pronto Socorro Municipal e deve ser encaminhado à Delegacia de PolíciaCivil.
"Tinha tentado invadir uma casa hoje pela parte da manhã e, segundo informações, já estava armado. Nesse enfrentamento ele veio a ser alvejado com dois tiros", informou o delegado Jamil Casseb.
O interno é custodiado no Centro de Recuperação Penitenciário do Pará II, na Região Metropolitana de Belém, e estava sendo conduzido para uma audiência em Santarém.
O diretor do presídio estadual metropolitano, major Jorge Melo, um dos policiais que acompanhavam o detento durante a transferência, disse que a principal causa da fuga é devido a viatura policial não ter acesso à àrea da pista do aeroporto.
Polícia encontrou detento nas matas perto do Lago do Juá (Foto: Kedma Araújo/G1)
Polícia encontrou detento nas matas perto do Lago
do Juá (Foto: Kedma Araújo/G1)
Entenda
O interno fugiu no caminho entre a aeronave e a sala de desembarque. De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), o preso, que estava algemado, correu em direção a uma área de mata. O policial militar e o agente prisional que o acompanhavam chegaram a fazer disparos de advertência. O advogado Miguel Karton contou ao G1 que ele e os outros passageiros já estavam próximo a sala de desembarque quando o incidente ocorreu. No momento, ele disse que todos ficaram nervoso e com medo.

Segundo caso em menos de um mês
No dia 14 de junho, um detento tentou fazer uma comissária de bordo refém durante um voo de Santarém para Belém. O detento foi agarrado por funcionários da empresa áerea que estavam dentro da aeronave e por um agente prisional que o acompanhava. A situação deixou os passageiros nervosos, causou tumulto e atrasou a viagem. Os passageiros foram orientados a volta para sala de embarque e retornaram depois que o preso fi algemado e retirado da aeronave.

Em entrevista à TV Tapajós, dois dias após o incidente, o diretor do núcleo de administração da Susipe, Mauro Matos, negou que tenha havido falha no esquema de segurança durante a transferência do interno. Ele afirmou que foram adotados os procedimentos normais de embarquee enfatizou que em sete anos na função, foi a primeira vez que um preso reagiu durante deslocamento aéreo.
A Azul Linhas Aéreas Brasileiras informou em nota que não vai se pronunciar sobre o fato para não atrapalhar as investigações policiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário