sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Quase 5 meses após acidente aéreo, famílias de vítimas cobram respostas

 Quase cinco meses após acidente aéreo com um bimotor em Jacareacanga, sudoeste do Pará, que vitimou cinco pessoas, as famílias das vítimas cobram respostas sobre os motivos da queda do avião. O acidente, ocorrido no dia 18 de março, matou três técnicas em enfermagem, um motorista e o piloto quando seguiam para uma aldeia indígena.
Em Santarém, no oeste paraense, a família de uma das vítimas quer saber o que provocou a queda do avião que matou a técnica em enfermagem Raimunda Lúcia. A família aguarda um posicionamento da Força Aérea Brasileira (FAB) desde que a queda aconteceu.
A angústia ainda toma conta daqueles que perderam os familiares e ainda não sabem o porquê. "A gente gostaria de ter um esclarecimento, porque já se passaram quatro meses e esperamos para saber. A gente sabe que não vai trazer a vida delas de volta, mas a gente espera que venha esclarecimento, até por respeito às famílias de dizer o que realmente aconteceu", afirmou a sobrinha de Raimunda, Eliane Limeira de Alencar.
Os parentes têm várias hipóteses para o desastre: falta de combustível, falha humana, problema dos motores. Porém, o que eles querem mesmo é um posicionamento oficial. Alguns suspeitam que as investigações não estão sendo feitas. "Eu acho que não. Acho que eles dizem 'deixa pra lá, já estão conformados mesmo, já encontraram'. Se é que tem alguma resposta, ficou entre eles", afirmou Cláudia Aguiar, irmã da técnica em enfermagem Luciney Aguiar.
O bimotor desapareceu no dia 18 de março depois de decolar de Itaituba, oeste do Pará, às 11h40 com cinco pessoas a bordo. O piloto Luiz Feltrin, as técnicas de enfermagem Rayline Sabrina Brito Campos, Luciney Aguiar de Sousa e Raimunda Lúcia da Silva Costa, e o motorista Ari Lima.
A equipe de saúde seguia para atendimento de uma comunidade indígena em Jacareacanga. Rayline Campos ainda conseguiu mandar um torpedo de SMS para o tio pedindo socorro instantes antes de o avião desaparecer. A aeronave fez o último contato com a torre cerca de uma hora e vinte minutos após a decolagem.
Depois de mais de um mês de buscas, no dia 22 de abril, a aeronave foi encontrada dentro de uma mata de difícil acesso.
do G1 santarém 

Nenhum comentário:

Postar um comentário