quinta-feira, 25 de setembro de 2014

“Operação Ciclone” leva cinco pessoas para a prisão em ação da Polícia Civil em Itaituba

Operação da polícia civil cumpre mandados de prisão contra envolvidos com o tráfico de drogas. As informações foram coletadas a partir de escutas telefônicas de dentro da casa penal de Itaituba. Os mandados de prisão foram expedidos pela Justiça com base em informações da Polícia Civil para dez pessoas suspeitas de envolvimento com o tráfico doméstico, uma subcategoria do narcotráfico que abastece as bocas-de-fumo e fornece a droga para os usuários da cidade.

Mas, segundo informou o delegado José Dias Bezerra, diretor da Seccional de Itaituba, a polícia suspeita que alguns traficantes de Itaituba têm envolvimento direto com fornecedores maiores, de outros estados. 
“Nós temos certeza que esse pessoal é apenas uma pequena parte do que temos de conexão com o narcotráfico. Mas estamos trabalhando para chegar aos chamados ‘peixes grandes’, que são realmente os que comandam a rede criminosa, inclusive fazendo ligação entre o Brasil e outros países da América Latina que produzem e fornecem drogas”, disse o delegado.
Os suspeitos foram apanhados de surpresa logo no início da manhã. Ao todo, a polícia deveria cumprir dez mandados de prisão e dez mandados de busca e apreensão. Cinco foram cumpridos. Os outros suspeitos já são considerados foragidos da Justiça. Durante a operação, denominada “Ciclone”, a polícia também apreensão aparelhos domésticos, televisores, celulares, dez mil reais em dinheiro, três motos e dois carros. Entre eles, um taxi, que seria utilizado para fazer a entrega de drogas.


“A ‘Operação Ciclone’ foi deflagrada a partir de informações coletadas através de interceptações de ligações telefônicas e pesquisas de campo. Para chegar a isso, usamos a informação de que internos do Centro de Recuperação (CRRI), a casa penal de Itaituba, estavam utilizando aparelhos celulares para encomendar drogas”.


“Nós queremos aqui deixar um alerta. Sejam familiares, comparsas, amigos, seja qual for a ligação que houver entre fornecedores e presos da casa penal, nós vamos chegar até eles. E a Justiça vai agir com muito rigor. Esta operação é apenas uma das muitas que ainda vamos realizar para coibir essa prática criminosa”, anunciou Jardel Guimarães. A operação foi coordenada pela Superintendência da Polícia Civil do Tapajós, sob a supervisão do delegado Jardel Guimarães, envolvendo cerca de 35 policiais, entre escrivães, investigadores e delegados. A movimentação na 19ª Seccional de Polícia foi intensa durante a coletiva de imprensa que também serviu para apresentar os presos. Foram autuados: Fabiana dos Santos Silva (30), Edson Rios (48), Jafren da Silva Almeida (27), Romário Vieira Alves (23) e Ronaldo de Jesus Moura, o “Bombado” (35).
Fonte: Tapajós em Foco

Nenhum comentário:

Postar um comentário