Transamazônica é liberada após três dias (Foto: Adriana Pessoa/Divulgação)
O trecho da rodovia BR-230, a Transamazônica, que era ocupado por manifestantes, foi liberado nesta sexta-feira (7), após uma reunião com o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit).
A rodovia estava interditada há três dias por moradores e comerciantes de Itaituba, no sudeste do estado. Eles reclamam do abandono e das más condições da rodovia e reivindicam o asfaltamento imediato da pista no trecho urbano do município.
A Polícia Rodoviária Federal informou que o tráfego já foi normalizado na área. 
(DOL)
Faixas mostram a revolta dos caminhoneiros
Faixas mostram a revolta dos caminhoneiros
Projetada dentro de um slogan nacionalista “Integrar para não entregar”, a Rodovia Transamazônica, criada por um sentimento de ufanismo dos militares, regido pelos caprichos do então presidente Emílio Garrastazu Médici, foi inaugurada em agosto de 1974.
Mas de um sonho de integração aos dias atuais a Rodovia se tornou um pesadelo para nossa região, em virtude da ”enrolação” para que seja efetuado o seu asfaltamento. Para construir os 4073 Kms da Rodovia Transamazônica o governo Federal gastou 1,5 bilhão de dólares na época (nos dias atuais daria em torno de 7,7 bilhões de dólares, uma obra faraônica que em alguns trechos ainda representa um elefante branco pelo estado de abandono.