COSTUMAM DIZER QUE A JUSTIÇA DE DEUS TARDA  MAS NÃO FALHA, MAS É DIFERENTE! DEUS NÃO TARDA, ELE CAPRICHA!
EU SOU HEPTA CAMPEÃO! O POVO ME ELEGEU POR SETE VEZES CONSECUTIVAS! E O TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL DECIDIU POR UNANIMIDADE ME DEVOLVER O CARGO QUE O POVO ME CONCEDEU, EU SOU VEREADOR! 
AOS MEUS INIMIGOS, SÓ UMA COISA: VOCÊS VÃO TER QUE ME ENGOLIR! E AOS MEUS AMIGOS VERDADEIROS, MUITO, MUITO OBRIGADO PELO APOIO! VOCÊS, COMO UM CASAL, ME ACOMPANHARAM NOS BONS E MAUS MOMENTOS! E POR ISSO LHES SOU GRATO!
FORAM TEMPOS DIFÍCEIS, MAS EU PROFETIZO EM NOME DE MEU PAI QUE AGORA É SÓ VITÓRIA!

OBRIGADO SENHOR!

LUIZ FERNANDO SADECK EM SEU BLOG
Índios da tribo Munduruku participam da busca pelo avião bimotor que desapareceu no Pará na última terça-feira (18) após decolar de Itaituba com destino a Jacareacanga, no sudoeste do estado. Eles atuam com os voluntários, que incluem moradores de Jacareacanga e funcionários do Distrito Sanitário Indígena (DSEI), e saem de canoa às 5h em busca de pistas que possam levar ao avião e seus cinco ocupantes. O trabalho só encerra de noite.
As buscas pelo bimotor já duram uma semana. Além dos voluntários, a procura pelo avião e seus ocupantes é feita com aeronaves da Força Aérea Brasileira e da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Até o momento, as equipes acumulam mais de 85 horas de voo, cobrindo uma área de 6.785 quilômetros quadrados. Um dos aviões utilizados na operação é o Orion, que tem sensores que detectam metal mesmo sob a mata cerrada, direcionando a operação em terra.
 A equipe percorre uma área que fica a cerca de 32 quilômentros de Jacareacana. De acordo com o J.S. Cavalcante, da Defesa Civil, as buscas se concentram em áreas onde objetos metálicos teriam sido encontrados ontem. "O caça aéreo detectou esses objetos metálicos e agora estamos com essa equipe para tentar encontrá-los, mas nada está confirmado ainda", explicou.
Até o momento, não há informações sobre o avião desaparecido no Pará. As buscas pelo ar também retornaram na manhã de hoje pela FAB. As condições climáticas em Jacareacanga amanheceram favoráveis às buscas, ao contrário dos demais dias prejudicados pelas chuvas e fortes nevoeiros.

José Admilson Gomes Pereira

O Conselho Nacional de Justiça decidiu na segunda-feira (24), julgar o juiz José Admilson Gomes Pereira por tráfico de influência e venda de sentenças. Pereira é acusado de favorecer advogados e vender sentenças em Novo Progresso, no interior do Estado. Com isso o conselho revisará a decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Pará que julgou improcedentes as acusações contra o magistrado.
Pereira respondeu procedimento administrativo disciplinar por suspeita de tráfico de influência e venda de sentenças entre os anos de 2010 e 2011, quando era juiz da comarca de Novo Progresso, no sudeste do Pará. Em decisão de abril de 2013, o TJE entendeu que quem denunciou o juiz não era isento, além de não haver provas concretas das acusações.
Além da FAB e do Corpo de Bombeiros, voluntários e 150 índios devem reforçar as buscas pelo bimotor
Além da FAB e do Corpo de Bombeiros, voluntários e 150 índios devem reforçar as buscas pelo bimotor
Um grupo de empresários que moram na região de Jacareacanga, se reuniram na segunda-feira (24) e arrecadaram a quantia de R$17 mil para oferecer de recompensa a quem achar provas concretas do avião desaparecido desde o dia 18 deste mês.
As buscas pela aeronave devem recomeçar por volta das 7h da manhã desta terça-feira (25).
Além das equipes da Força Aérea Brasileira (FAB) e do Corpo de Bombeiros, voluntários e 150 índios de tribos próximas devem reforçar as buscas pelo bimotor.
Sobre o caso