Homens da Defesa Civil, Força Aérea Brasileira e Corpo de Bombeiros não realizaram buscas ao avião bimotor desaparecido desde a última terça-feira (18), próximo a cidade de Jacareacanga, no sudoeste Pará. Nesta quarta-feira (26), foi realizado apenas um sobrevoo de helicóptero, mas nada foi encontrado.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, José da Silva Cavalcante, os trabalhos não foram realizados por ordem do comandante que preferiu suspender os serviços para que as equipes pudessem descansar. "Muitos estão trabalhando direto na busca pelo avião e até agora nada. Ontem muitos de nós trabalhamos até tarde. Somente os indígenas fizeram buscas na mata, mas isso não temos controle", afirmou.
Um avião da Força Aérea Brasileira detectou sinais indicando a existência de uma aeronave submersa na região onde estão sendo feitas as buscas ao bimotor que desapareceu próximo ao município de Jacareacanga, no sudoeste do Estado. Ontem, completou uma semana do sumiço do avião, que, com o piloto, transportava cinco pessoas. Mas não se sabe se o avião submerso é o mesmo que está desaparecido. Ou se, conforme informações que circulam na área, é um que teria caído há mais de 20 anos. As informações foram dadas a O LIBERAL, ontem à tarde, pelo delegado Lucivelton Ferreira dos Santos, titular da Delegacia de Jacareacanga.
Segundo ele, o avião da FAB, que faz uma "varredura" na região, detectou a existência de um avião, submerso em uma área alagada, no domingo. Mas, conforme o delegado, essa aeronave não foi "visualizada" pelos militares da FAB.
Áreas alagadas em Itaituba Foto Arlyson Souza
Através do decreto Nº 046/2014, a prefeita Eliene Nunes declarou situação de emergência na área urbana, distritos e comunidades, em decorrência do período de intensas chuvas que vem ocasionando a cheia do rio Tapajós. A situação de emergência abrange dezessete bairros na zona urbana, seis distritos e cinquenta e quatro comunidades.
No decreto são evidenciados os serviços direcionador para resolver as situações nas zonas urbana e ribeirinha, bem como, a convocação de voluntários para reforçar as ações de resposta ao evento natural e realização de campanhas de arrecadação de recursos junto à comunidade com o objetivo de facilitar as ações assistenciais à população afetada, sob a coordenação da Defesa Civil.
O Ministério Público do Estado do Pará (MPE) constatou a superlotação do presídio de Itaituba, no sudoeste do Pará, após visita na última terça-feira (25). O local está interditado para acolher presos de localidades que não pertençam a Região Sudoeste II, que inclui Itaituba, Trairão, Novo Progresso, Rurópolis, Jacareacanga e Aveiro.

A visita ao Centro de Recuperação Regional de Itaituba (CRRI) foi feita pela promotora de Justiça Magdalena Torres Teixeira. Com capacidade para 196 presos, a unidade prisional, atualmente, abriga 289 internos.