Atual realidade da rodovia 
A justiça federal vai realizar hoje (28) uma audiência publica para discutir com órgãos federais e sociedade uma solução definitiva para a rodovia transamazônica. A situação da rodovia BR 230         , no perímetro urbano de Itaituba, vem sendo debatida desde o ano passado quando a estrada ficou em precárias condições de trafegabilidade. O ministério publico federal chegou a intervir determinando a manutenção da rodovia com garantia de trafegabilidade. Apesar disso, o trabalho não satisfez a população e devido à má qualidade do serviço e entidades organizadas promoveram um grande manifesto que parou Itaituba e levou a questão para conhecimento nacional. O exercito que é responsável pela obra vem desde então dando manutenção frequente no trecho urbano da rodovia com compromisso de pavimentação no segundo semestre.
Catedral de Santana 
A igreja católica realiza hoje uma programação diferenciada que pretende reunir os católicos durante 24 horas em vigília. O convite aos fieis foi feito pelo bispo da prelazia. De acordo com o bispo Dom Vilmar Santin, que coordena a igreja católica na região, o evento religioso foi proposto pelo comando mundial da igreja católica. Cristãos de todos os continentes estarão reunidos em vigília durante 24 horas de orações, meditações e estudo bíblico a pedido do próprio papa Francisco. Dom Vilmar pediu que os católicos itaitubenses atentem para esta programação especial antecipando a páscoa. Lideranças da igreja deverão se revezar para receber a todos. O primeiro momento as 17 horas será dedicado aos jovens e também haverá espaço para a realização de confissões e uma missa especial as 19 horas 
.

 O desaparecimento do Baron da Jotan não é primeiro episódio envolvendo aeronaves nos últimos tempos em nossa região. O ultimo caso aconteceu mês passado no município vizinho de Novo Progresso, um monomotor modelo Cirrus, considerado moderno, decolou mas nunca chegou ao seu destino. O piloto Daniel Martins de 55 anos foi dado como desaparecido pelas autoridades. O caso do bimotor da Jotan entra para as estatísticas de acidentes envolvendo aeronaves na Amazônia. A pergunta que não cala é: se voar é tão seguro, por que tanto acidente em nossa região? Ora se nossos pilotos são considerados os mais experientes por voar em condições tão adversas, o que contribui para o registro de tantas tragédias? Seria o gerenciamento das empresas? A falta de manutenção nos equipamentos?. Não há como negar que diante da imensidão de nossa região, carente de infra-estrutura, os aviões que cortam os céus de nossas florestas são instrumentos de extrema necessidade, sem eles iria demorar dias pelo rio ou pela estrada para levar comida, combustível ou medicamentos aos garimpos, comunidades e até pequenos municípios. O desaparecimento do bimotor de prefixo PR-LMN deixa mais dúvidas mesmo para os leigos no assunto, 10 dias de buscas se passaram, já são mais de 230 horas de pura agonia e aflição. Não é somente a família das vítimas ou do piloto que sofre, toda a sociedade está consternada com tamanha tragédia que se tornou uma verdadeira novela. Cada dia com um capítulo de um drama sem desfecho. Todos se perguntam o que pode ter acontecido com o avião: Será que caiu? Será que houve pouso forçado? Será que existe alguém com vida? Estariam feridos?. É fato que todos os esforços das autoridades e toda mobilização solidária de voluntários parecem inúteis diante da imensidão da floresta.

O Pará endureceu o discurso, mas sem perder a ternura, no Fórum Nacional dos Secretários de Estado para Assuntos de Energia, realizado em Belém nesta quinta-feira (27), no Hangar - Centro de Convenções. O governador Simão Jatene, no encerramento do encontro, e o engenheiro Nicias Ribeiro, presidente do Fórum, na palestra de abertura, criticaram enfaticamente o modelo de taxação da energia elétrica vigente no País, que, em vez de recompensar, prejudica quem produz.

O tom severo dos discursos foi suavizado pela presença do grupo de Canto Coral Renascer, formado pelas vozes de cinco jovens que se revezaram na execução da melodia e da harmonia das canções, sempre a cappella. Coube a esses rapazes abrir o evento cantando o Hino Nacional e encantando os participantes do encontro.