Poder Online
Blog do Jeso | Jader Barbalho
A juíza do Trabalho Karla Martins Frota determinou, nesta segunda-feira – Dia do Jornalista – a reintegração de quatro repórteres demitidos do grupo RBA [Rede Brasil Amazônia], após participarem de greve, em 2013. O grupo também foi condenado a pagar R$ 30 mil a cada jornalista, por danos morais.O grupo RBA de Comunicação é controlado pela família do senador Jader Barbalho (PMDB-PA – foto) e reúne o jornal impresso Diário do Pará, o portal Diário Online, além de canais de rádio e TV.Além destes quatro jornalistas, mais 12 grevistas foram demitidos e ainda aguardam resultado judicial. A decisão foi tomada em primeira instância e ainda cabe recurso.
vítima foi abordada na frente da agencia do BB em Itaituba
A policia civil continua investigando o assalto na porta de uma agencia bancaria no final da manhã de ontem. Uma equipe de investigados está a procura dos bandidos.O registro do assalto foi feito na tarde desta segunda(07) na delegacia de policia. De acordo com informações das autoridades por volta das onze horas o dinheiro de um supermercado que deveria ser depositado na agencia do banco do Brasil foi levados por assaltantes que renderam a vitima com uma arma e utilizavam uma moto na fuga. A policia civil está em campo para tentar localizar os responsáveis pelo assalto que deixou um prejuízo superior a cem mil reais no caixa da empresa, dinheiro que segundo as autoridades era do faturamento do supermercado.
Com a saída da PM das ruas tem aumentado o numero de registros de roubos e furtos nos bairros periféricos.  A policia civil diz que vai intensificar o trabalho nas ruas para evitar a ação dos ladrões. Entre as vitimas está dona Antonia Damasceno, moradora no bairro vitoria regia e teve a casa arrombada pelos ladrões, que utilizaram um alicate especial para ter acesso a residência e levaram vários objetos da vítima. Já dona Maria Zélia também foi a delegacia denunciar o roubo de sua residência, ela perdeu eletrodoméstico, dinheiro e objetos pessoais e todos os pertences de valor da casa.
Campanha arrecada recursos-Foto: Salomão Ribeiro 
 Depois de 20 dias do desaparecimento do avião bimotor da Jotan, as equipes de buscas voluntarias estão esgotadas emocionalmente, fisicamente e também financeiramente. Por este motivo um grupo de funcionário do DISEI com auxilio de empresários e amigos das vitimas foram as ruas buscar solidariedade das pessoas. A campanha de arrecadação seguiu pelas vias comerciais da cidade onde a colaboração financeira das pessoas era solicitada para custear os trabalhos de buscas feitos por civis na região de mata em Jacareacanga. Muitas pessoas foram solidarias a causa e fizeram sua parte, na tentativa de ajudar a encontrar as 5 pessoas que voavam com destino a aldeias indígenas. A intenção da equipe é angariar recursos para auxiliar na permanência das equipes de buscas que ganhará reforços de 300 indígenas esta semana.
A reunião entre entidades da sociedade civil e militares aquartelados no 6º Batalhão de Polícia Militar, em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém, terminou no início da noite desta segunda-feira (7). Duas petições serão apresentadas sobre o caso.
Na conversa, a Ordem dos Advogados do Brasil, sessão Pará (OAB/PA), decidiu que vai formalizar a petição para que a Justiça não acate o pedido do promotor de justiça militar Armando Brasil que pediu a prisão preventiva de 23 policiais militares que fazem parte do movimento.
A promotoria de Justiça Militar do Pará pediu na tarde desta segunda-feira (7) a prisão preventiva de 23 líderes da manifestação de policiais militares, iniciada na última quinta-feira (3), em Ananindeua, região metropolitana de Belém. As ações de parte dos praças envolvidos nos protestos, que pedem reajuste igual ao concedido para oficiais, foram consideradas crime de motim. A lista contém 23 nomes, incluindo o policial suspeito de ter agredido a equipe da TV Liberal. Segundo a associação dos policiais, os acusados ainda não foram notificados da decisão, e os advogados dos PMs trabalham para garantir a liberdade dos manifestantes.
Segundo o promotor Armando Brasil, outros soldados, cabos e sargentos envolvidos nos atos também terão a prisão preventiva decretada. "O juiz deve apreciar o pedido nesta terça-feira. Isso vale para integrantes do protesto em Belém e no interior do estado", declarou em entrevista ao G1.Os policiais militares lotados no 6º Batalhão da Polícia Militar, localizado na BR-316, em Ananindeua, iniciaram a manifestação na última quinta-feira (3) contra uma lei que garantiu reajuste salarial para os oficiais da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, mas deixou de fora os praças.



 Itaituba viveu na noite de ontem mais uma noite sem polícia nas ruas, mas parece que o estado ainda não percebeu. Prefere ficar tentando maquiar os fatos do que assumir que eles criaram uma crise gravíssima na segurança pública do Estado do Pará. O governo nunca atende às reinvidicações de nínguem sobre perdas salariais integramente como, segundo o cmt geral da PM, teria ocorrido em relação aos oficiais. O governo teria somado cada vírgula de 2005 para car e aprovado uma lei para repor tudo. E os demais policiais que fiquem no prejuizo, pois tudo é feito pelo estado para agradar esses privilegiados em detrimento dos agentes de segurança pública que estão no fronte de batalha.

 Venho a público esclarecer a verdade sobre a discussão e votação do Projeto de Lei 34/2014 de Autoria do Poder Executivo, que reajusta a remuneração dos oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Pará.O referido projeto foi aprovado por unanimidade e teve uma emenda apresentada pelo deputado Parsifal-PMDB que estendia o reajuste para os praças. Independente do mérito, foi considerada inconstitucional e rejeitada pela maioria dos parlamentares, pois é de competência do Chefe do Poder Executivo a produção de normas que versem sobre remuneração de servidores civis e militares.