Joaquim Lira Maia (DEM-PA) (Foto: Divulgação)O pré-candidato do PMDB ao governo do Pará,Helder Barbalho, afirmou nesta sexta (6) que o deputado federal Lira Maia, do (DEM), será o seu vice na chapa na candidatura ao governo do estado.
Lira Maia é o presidente dos Democratas no Pará. A informação foi confirmada pelo pré-candidato Helder Barbalho, na tarde desta sexta-feira (6) em Santarém, oeste do estado.
O partido Democratas (DEM) estará ao lado do PMDB do Pará nas eleições deste ano. As conversas entre lideranças das duas legendas já vinham ocorrendo há várias semanas e, ontem, o acordo foi fechado, faltando, contudo, ainda alguns detalhes.
O presidente da legenda no Estado, deputado federal Lira Maia disse que um anúncio formal ainda será feito, após conversas com as lideranças locais do DEM que tem seis prefeitos no Pará; nove vice, três deputados estaduais e cerca de 80 vereadores, além da cadeira na Câmara Federal ocupada por Maia. 


 A presidência do Ibama marcou para o próximo dia 10, em Cachoeira da Serra, distrito de Castelo dos Sonhos, em Altamira, um encontro com agentes do Instituto e colonos da região envolvidos no episódio que resultou na destruição de três carretas e um trator há quinze dias. A reunião ontem, foi com o superintendente do Ibama, Volney Zanardi Júnior com representantes dos agricultores e o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA).




O deputado Nélio Aguiar (DEM) usou a tribuna na terça-feira, 03, na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), para cobrar do comando Geralda Polícia Militar (PM) que tome as providências para publicar no boletim da PM a extinção de todo e qualquer processo administrativo ou ações do conselho de disciplina resultante do movimento de paralisação dos praças da Polícia Militar.
O vereador eleitor Luís Fernando Sadeck dos Santos, o “Peninha”, teve o direito ao cargo reconhecido pela Justiça Eleitoral na tarde desta quinta-feira (05), depois de terem sido recontados os votos das eleições municipais de 2012, quando “Peninha” foi eleito. Ocorre que o então candidato teve o registro de candidatura aceito pela Justiça, mas ainda estava condenado com base em uma denúncia de troca de votos por combustível nas eleições de 2008, quando ele foi eleito para seu sexto mandato. “Peninha” cumpriu o mandato normalmente e concorreu novamente em 2012, mas, ao ser eleito, o Tribunal Regional Eleitoral entendeu que ele ainda não havia cumprido os oito anos de inelegibilidade que recebeu como sentença. Recebendo número de votos suficiente para ser reeleito, o então vereador não reconhecido recorreu da decisão. Um ano e meio depois, a Justiça decidiu que a pena já havia prescrito e “Peninha” acabou readquirindo seus direitos políticos.