sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Deputados cogitam a possibilidade de criar CPI da Celpa

Deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) reuniram-se, ontem, com diretores da Celpa, para ouvir as justificativas para o elevado preço da tarifa de energia paga pelos paraenses. Os representantes da companhia foram recebidos pelos deputados Celso Sabino (PSDB), Airton Faleiro e Dirceu Ten Caten, ambos do PT. Os parlamentares, no entanto, consideraram infundadas e insuficientes as justificativas do diretor comercial, Augusto Dantas, e do diretor de relações institucionais da concessionária de energia, Mauro Chaves. Por isso, uma sessão especial será realizada até o início de março, na Alepa, para a qual o presidente da Equatorial, a controladora da Celpa,  Firmino Ferreira Sampaio Neto, será convocado a esclarecer as pendências. Caso as explicações apresentadas sejam consideradas novamente sem fundamento, deputados da Alepa pretendem propor a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), a fim de apurar as falhas na gestão da companhia, que, consequentemente, ocasionam no aumento do custo da tarifa.

Segundo o deputado Celso Sabino, o custo da energia elétrica está alicerçado em três principais pilares. “O primeiro deles é o tributário, que, em regra, é quase o mesmo para todos os estados brasileiros. O segundo é a compra da energia nacional, que é feita através de lotes. Nessa segunda parte também não há muita variação, pois quando a energia está escassa em determinado local, os custos encarecem para todos. O terceiro fator é o mais importante e determinante para o aumento da tarifa, pois está relacionado à eficiência da concessionária. Ou seja, aquela companhia que tiver melhor gestão, consequentemente, oferecerá menor preço aos usuários”, explica.
“A questão é que essa prática não acontece com a Celpa. Das 62 concessionárias de energia do País, ela é uma das mais caras, ocupando a 60ª posição do ranking. Um dos motivos para isso são os elevados gastos e a má gestão da companhia. Não à toa ela é alvo de inúmeras reclamações por parte de consumidores e indústrias. Um exemplo dessa má administração é que os padrões de medição foram substituídos três vezes em um curto espaço de tempo. Primeiro foram os olhões, depois quebraram a casa das pessoas para implantar nova medição e agora estão colocando um chip”, frisa o parlamentar.
O deputado destaca que um novo aumento na tarifa de energia está previsto para os próximos meses. “Esses aumentos afetam diretamente a economia paraense. Por isso, queremos discutir minuciosamente junto com a diretoria da companhia, com a população e demais órgãos envolvidos, como o Procon, a justificativa da Celpa para tais aumentos, uma vez que a energia é vendida quase pelo mesmo preço para todo o Brasil. Queremos saber o motivo pelo qual temos uma das tarifas mais caras do País, pois quem está pagando a conta dessa má gestão da concessionária é o povo do Pará”, afirma. “Esperamos explicações mais robustas por parte da companhia. Queremos deixar tudo às claras, em tom transparente como água mineral. Se as dúvidas não forem sanadas e se a diretoria da Celpa não tiver êxito novamente em suas explicações, vamos propor a instauração de uma CPI, pois nosso objetivo principal é baixar o preço da energia”, diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário