sexta-feira, 3 de julho de 2015

Assessor de vereador preso por fraude é detido em Belém



O assessor do vereador Josineto Feitosa de Oliveira (SDD), ex-presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, foi preso nesta sexta-feira (3), em Belém. O assessor Herbert Matias de Gomes estava foragido desde a última quarta-feira (1º), quando Josineto foi detido em casa suspeito de fraudar licitações. Herbert se apresentou na sede do Ministério Público, também suspeito de integrar o esquema de fraudes.
As prisões fazem parte da Operação Filisteus, iniciada em maio. Já estão na cadeia os vereadores Josineto Feitosa (SDD), José Arenes (PT), e Odilon Rocha (SDD), que causou polêmica ao declarar em sessão na Câmara Municipal que "sem corrupção,
um vereador mal se sustenta", apesar do salário de mais de R$ 10 mil. Segundo o MP, as fraudes eram feitas por meio do superfaturamento de compras e desvio de dinheiro público Investigação.
Quinze vereadores de Parauapebas, no sudeste do Pará, estão sendo investigados pelo MPE por suspeita de corrupção na Câmara Municipal. "Nós apreendemos uma quantidade bem grande de documentos que vão permitir que a gente saiba a extenção dessa cadeia criminosa, quem participa efetivamente dela, quem se beneficiou do dinheiro público", afirmou o promotor Hélio Rubens.
Ainda de acordo com Rubens, a acusação contra o vereador Feitosa seria porque ele forneceu uma certidão falsa atestando a aptidão técnica de uma empresa, e com base nesse documento, a empresa conseguiu participar de um certame licitatório realizado pela prefeitura. "A licitação foi organizada por Josineto, por meio de Herbert. Averiguamos ainda denúncias de intimidação contra testemunhas desses casos de fraude". 
Filisteu
A operação teve início em maio deste ano. As prisões desta quarta são desmembramentos da das investigações, realizadas pelo MPE em parceria com a Polícia Federal, e que resultaram na prisão de Odilon Rocha (SDD), também verador de Parauapebas. Ele foi detido no dia 26 de maio, suspeito de participar de um esquema de fraudes em licitações entre os anos de 2013 e 2014, quando exerceu o cargo de primeiro secretário da câmara do município. Além dele, também foram presos o vereador José Arenes (PT) e o empresário Edimar Cavalcante.

Fonte. G1-PARÁ

Nenhum comentário:

Postar um comentário