quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Itaituba: Greve no campos do IFPA completa 40 dias

Os professores e servidores do IFPA, lotados no campus de Itaituba completaram 40 dias de greve.  Eles reivindicam reajuste salarial e outros benefícios.
Os trabalhadores da instituição decidiram aderir à paralisação no dia 14 de setembro, iniciada nacionalmente no dia 28 de maio. Os professores do campus alegam que estão de acordo com as reivindicações e tem também uma pauta local. 
Entre as reivindicações do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe-PA), que coordena o movimento grevista, estão o estabelecimento de jornada de 30 horas semanais para todos os técnicos administrativos; definição de carreira única dos trabalhadores da educação federal com reestruturação das carreiras dos técnicos administrativos e docentes; isonomia de tratamento entre os docentes de carreira com os docentes do magistério superior. 

A categoria afirma que o restante da pauta é unificada com o movimento nacional, que defende o reajuste linear de 27,3% (referentes às perdas salariais de 2012 a 2015), isonomia salarial e de todos os benefícios entre os poderes, contra os cortes na educação e a favor do ensino público gratuito e de qualidade.
Os representantes do movimento em Itaituba dizem que aguardam uma definição do comando de greve. Já a direção da instituição diz que aguarda um posicionamento a respeito das negociações. A direção reconhece o direito à greve, mas que o setor administrativo está em funcionamento.
A expectativa é que a greve provoque prejuízos ao calendário letivo. Professores e direção deverão criar um cronograma para cumprir o que determina a lei referente ao cumprimento da carga horária. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário