sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Operação contra fraudes na emissão de CNH prende mais 11 pessoas

Operação realizou sete prisões no Pará. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Operação já prendeu 22 pessoas no Pará e no
Tocantins. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Mais 11 pessoas foram presas por suspeita de envolvimento em um esquema de fraudes na emissão e venda de  Carteira Nacional de Habilitação (CNH), de acordo com informações divulgadas na noite desta quinta-feira (10) pela Polícia Civil do estado do Pará. De acordo com a Polícia, 22 prisões já foram realizadas na operação, mas somente 12 pessoas permanecem presas.
Segundo a Polícia, as prisões foram realizadas durante a segunda fase da Operação "Galezia", iniciada no dia 20 de agosto em parceria com o Departamento de Trânsito do Pará (Detran-Pa) e realizada em oito cidades do Pará e no município de Pedro Afonso, no estado do Tocantins.

A Polícia informou ainda que 25 pessoas, entre servidores públicos do Detran-Pa, ex-servidores, filhos de servidores, despachantes e donos de autoescolas, são investigados e serão indiciados no inquérito policial. Quatro pessoas continuam foragidas. A Justiça determinou o afastamento das funções dos servidores do Detran-Pa suspeitos de envolvimento no esquema pelo prazo de até 30 dias.
As pessoas que seriam beneficiadas pela fraude apresentavam comprovações de exames médicos e psicológicos, supostamente feito em outros estados, que eram enviados para o Pará junto com comprovantes de residência forjados, para obter a carteira de habilitação. Centros de Formação de condutores também participavam do esquema, expedindo certificados falsos de conclusão do curso de habilitação.Esquema criminoso
De acordo com as investigações, o esquema começava em outros estados, principalmente no Tocantins, que enviavam para as circunscrições de trânsito do Pará processos de expedição de carteira de motorista de pessoas que, segundo a quadrilha, estariam se mudando para o sul do estado.
Com estes documentos, os servidores das circunscrições do estado expediam certificados que comprovavam que as pessoas haviam feito as provas teóricas e práticas de direção veicular sem a presença dos candidatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário