sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Operação Arapima combate fraude no Seguro defeso no Pará

Operação combate fraude no seguro defeso no Pará
Operação combate fraude no seguro defeso no Pará
A Polícia Federal nesta quinta-feira, 22, a operação denominada “Arapaima”, com objetivo de desarticular organização criminosa suspeita de cometer fraudes na concessão do benefício social de seguro defeso ao pescador artesanal, envolvendo servidores e intermediários ligados aos órgãos públicos responsáveis por essa concessão, no estado do Pará.
Cerca de 70 policiais federais cumpriram 17 Mandados de Prisão temporária e 17 Mandados de busca e apreensão, a grande maioria nas cidades de Belém e Ananindeua, mas também em Soure, Cametá, Santa Isabel e Altamira.

As investigações foram conduzidas através de inquérito policial, com o objetivo de apurar a materialidade e identificar os membro da organização criminosa que atuariam nas fraudes contra o seguro defeso em Belém, perante à Superintendência Federal da Pesca no Pará (SFPA) e Postos do Sistema Nacional de Emprego (SINE/MTE), bem como às agências da Caixa Econômica Federal (CEF), na capital do Pará.
As atividades ilícitas estariam voltadas notadamente para a concessão fraudulenta do benefício de seguro defeso do pescador artesanal a membros de colônias e outras entidades de pescadores no Estado do Pará, mediante a inserção de dados falsos no sistema de registro geral da pesca (RGP), possibilitando o cadastramento de pessoas que não apresentavam a qualidade de pescador artesanal, sendo identificados fortes indícios da prática dos crimes de estelionato majorado, corrupção passiva e ativa e inserção de dados falsos em sistemas de informação, além do crime de Associação Criminosa.
Os presos foram conduzidos a Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Pará, onde foram interrogados e indiciados pelos crimes de estelionato, corrupção passiva e ativa, inserção de dados falsos em sistemas de informação, além do crime de Associação Criminosa. A expectativa é de que ainda hoje, eles sejam conduzidos ao Sistema Penal.

Fonte: RG 15/O Impacto

Nenhum comentário:

Postar um comentário