Mesmo após liminar da Justiça para que os professores voltem ao trabalho em até 24 horas, deferida na manhã desta terça-feira (14), o Sindicato dos Trabalhadores da Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp) garantiu que a categoria vai continuar em greve.
A decisão da Justiça também proíbe os professores de interditar vias ou outros bens públicos, além de impedir que outros servidores da educação desenvolvam suas atividades.
A desembargadora Gleide Pereira de Moura determinou na manhã desta terça-feira (14) que todos os professores em greve do Pará devem voltar ao trabalho em 24 horas. A decisão ainda proíbe a categoria de protestar interditando ruas e espaços públicos. Em caso de descumprimento, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp) poderá ser multado em R$ 20 mil por dia. O Sintepp informou, através das redes sociais, que a greve está pautada em reivindicações inquestionáveis de ilegalidades praticadas e assumidas pelo próprio Estado
Karleane Silva Peixoto, de 22 anos, viajava em um ônibus da empresa Ouro e Prata que havia saído de Novo Progresso. Mas ela só não contava que no meio da viagem haveria uma batida policial. E foi o que ocorreu em vistoria dentro do ônibus o comandante da operação, Cabo/PM Juvenal, desconfiou do nervosismo da passageira e ao revistar uma caixa encontrou 3 quilos de maconha prensada e embalada no formato tablete. Ela foi presa às 17 horas de sábado, dia 11.

Karleane Silva Peixoto, de 22 anos
Karleane Silva Peixoto, de 22 anos

Maconha apreendida em poder de Karleane, durante operação policial
Maconha apreendida em poder de Karleane, durante operação policial
A traficante foi levada ao destacamento da PM no Km 30 e de lá conduzida para Itaituba, onde foi apresentada a delegada plantonista Suelen Costa, que   fez os procedimentos e indiciou em flagrante a jovem que será mandada para a cadeia pública.