A presidente Dilma Rousseff anunciou ontem (9), em Brasília, um pacote de concessões e investimentos em infraestrutura estimado em R$ 198,4 bilhões. Desse montante, pelo menos R$ 21 bilhões estão previstos para serem aplicados dentro do Estado do Pará. De acordo com a segunda etapa do chamado Programa de Investimento em Logística (PIL), R$ 66,1 bilhões dos investimentos totais serão em rodovias; R$ 86,4 bilhões em ferrovias; R$ 37,5 bilhões em portos e R$ 8,5 bilhões em aeroportos. A previsão é que esses investimentos comecem ainda em 2015 e se entendam até depois de 2019.

Na avaliação do governo federal, 20 Estados e 130 municípios do País serão beneficiados. O Pará aparece como um dos mais contemplados, com investimentos em quase todos os setores, com destaque para o modal de ferrovia.
 Trecho recém-construído de 22,7 km na BR-163 em Mato Grosso. (Foto: Leandro J. Nascimento/G1)BR-163, que liga o Pará  ao Mato Grosso.
(Foto: Leandro J. Nascimento/G1)
O Governo Federal anunciou nesta terça-feira (9) que a rodovia BR-163, as ferrovias norte-sul e Lucas do Rio Verde-Miritituba e 20 terminais portuários do Pará devem receber investimentos e ser abertos a leilão. As ações fazem parte do Programa de Investimento em Logística (PIL) do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, que prevê a aquisição da logística nacional pelo setor privado pelo modelo de leilão pela menor tarifa para modernizar a infraestrutura do país.
Rodovias
A rodovia BR-163, que liga o porto de Miritituba, em Itaituba, e Sinop, no Mato Grosso, deverá ser leiloada em 2015 obedecendo o critério de quem oferecer a tarifa mais barata para o pedágio. O governo estipula que quem adquirir a rodovia terá de fazer um investimento de R$ 6,6 bilhões para o trecho de 976 quilômetros da estrada. Segundo o ministério do planejamento, o objetivo do leilão é melhorar a logística do escoamento de grãos pelos portos do norte do país.