terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Governo federal expulsa 21 servidores públicos no Pará

O governo federal expulsou 21 servidores públicos paraenses em 2015 por práticas ilícitas nas administração pública. O dado foi divulgado nesta sexta-feira (8) pela Controladoria-Geral da União, que apresentou um relatório nacional com número de servidores efetivos demitidos em 2015.
O número referente ao Pará é menor que o registrado em 2014, quando 30 servidores públicos federais foram demitidos. Vinte e um foram desligados de suas funções em 2013 e 16 no ano de 2012.
Ao todo o Estado tem 17.640 servidores públicos federais. Entre os Estado, o Rio de Janeiro teve o maior número de demitidos com 97 expulsões. São Paulo teve 78 demissões e o Distrito Federal, 59. O Piauí foi o único Estado que não teve servidor federal expulso em 2015, segundo o relatório da CGU.
Nacionalmente foram feitas 541 expulsões de servidores. A corrupção é ilícito mais cometido pelos funcionários desligados. Foram 332 casos registrados em 2015. No ano anterior, 363 tinham sido desligados pelo mesmo crime. O abandono de cargo, inassiduidade ou acumulação ilícita de cargos deixou 138 servidores sem emprego. E o chamado procedimento de forma desidiosa, quando o servidor tem conduta preguiçosa ou desleixada, deixou 9 fora do serviço público federal.
Segundo a CGU, os órgãos com maior quantidade de expulsão são o Ministério do Trabalho e Previdência Social (150 expulsões), Ministério da Educação (130) e Ministério da Justiça (84). Os servidores expulsos ficam inelegíveis por oito anos de acordo com a Lei da Ficha Limpa. As demissões ocorrem após a instauração de Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD), que garante aos envolvidos o direito a defesa e ao contraditório.
Em 2014, o governo federal expulsou 548 servidores, sendo 363 por corrupção. No ano anterior, 2013, foram expulsos 528 funcionários, dos quais 377 por corrupção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário