quinta-feira, 7 de abril de 2016

Tarde de quarta feira marcada por vários acidentes

Foto: Jr. Ribeiro
Por Jota Parente - Pegue-se um condutor despreparado, sem experiência e com uma boa dose de imprudência. Está pronto um condutor que tem todas as condições de matar alguém, ou se matar no trânsito de Itaituba.

Esta semana eu tive uma experiência que corrobora essa afirmação.

Segunda-feira eu seguia pela 10ª Rua do bairro da Floresta. Quando cheguei ao cruzamento com a Transamazônica, prestei atenção em sua senhora de mais ou menos 50 anos, que parou para entrar pela 10ª Rua.

Em vez de fazer como deve ser feito, ou seja, ligar a seta para mostrar que iria dobrar e se posicionar corretamente, ela parou do outro lado, decidindo fazer a conversão quando achou que não vinha ninguém, mas, vinha.

Ela foi apanhada por um rapaz que vinha com garupa em outra moto, que para sorte de todos estava em baixa velocidade.

As duas motos apenas se tocaram, e embora dois dos três ocupantes das duas motos tenham saído mancando, nem escoriações houve. Mas, se um carro em uma velocidade acima de 40 km/h teria provocado um acidente cuja gravidade poderia ser grande.

Ali eu vi uma condutora totalmente despreparada para pilotar uma motocicleta nas ruas da cidade.

Uma vítima fatal
Ontem, eu cheguei ao local onde aconteceu um acidente com vítima fatal.

Foi no cruzamento da Transamazônica com a 13ª rua, debaixo do semáforo que fica na 13ª, sentido Floresta.

O que eu vi ali foi uma imagem muito forte, estarrecedora.

Um caminhão e uma moto Fan que estavam parados no semáforo da Transamazônica, sentido centro, quando o sinal abriu, dobraram ao mesmo tempo na 4ª Rua da Floresta.

A jovem que conduzia a motocicleta, por tudo que pude apurar no auge da agitação logo após o acidente, foi imprudente ao fazer a conversão pela direita do caminhão, o contribuiu muito para o acidente fatal.

Ao bater na carroceria do caminhão, ela e outra moça que também ia na moto, foram lançadas para baixo do veículo trucado e ela levou a pior, porque um dos pneus passou por cima de suas pernas.

Foi necessário usar um macaco hidráulico para retirá-la.

A outra moça teve uma fratura em uma das pernas, mas, não correu nenhum risco de morte.

A condutora, infelizmente não resistiu e morreu.

De acordo com as informações do HMI, a moça que veio a óbito tinha apenas dezesseis anos. Ou seja, não era habilitada, porque não tinha idade para tirar carteira de motorista.


Aqui cabe uma pergunta que pode parecer perversa diante da dor dessa família, mas, que precisa ser feita para ver se as pessoas despertam e passam a ter mais responsabilidade: como devem estar se sentindo esses pais, que entregaram uma arma na mão de uma filha menor de idade, arma essa com a qual ela veio a se matar?

Aliás, ontem aconteceram mais dois acidentes, sendo um na 18ª Rua do bairro Bela Vista e outro a altura do km 13 no qual um senhor conhecido como Jota, que pilotava uma camionete sofreu muitas fraturas e teve que ser conduzido para Santarém, pois seu estado inspirada cuidados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário