segunda-feira, 2 de maio de 2016

Dois Foragidos – Quinze são presos em esquema de lavagem de produto floresta

Quinze pessoas foram presas pela Polícia Civil do Pará nesta quinta-feira (28) durante a operação ‘Tempesta’, que desarticulou uma organização criminosa que fraudava o sistema de expedição de guias florestais para o comércio ilegal de madeira. Duas pessoas estão foragidas.

)-A polícia cumpriu ainda mandados de prisão temporária. Os acusados foram presos nas cidades paraenses de Tucuruí, Itaituba, Tailândia, Novo Progresso e Marabá. Outros dois acusados foram presos em Sinop (MT).

Os presos estavam envolvidos em um esquema de lavagem de produtos florestais que utilizava empresas de fachada para a apresentação de planos de manejo florestal fraudulentos para a aquisição de créditos florestais emitidos pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas). Com a fraude a quadrilha conseguia exportar legalizar a exportação da madeira irregular.

O esquema também contava com criminosos na Internet, os ‘crackers’, que ‘esquentavam’ a madeira ilegal ao burlar os sistemas de expedição de guias florestais e expediam guias com dados falsos das empresas de fachada. A organização era investigada desde 2014, quando a ação foi denunciada à Semas por empresas do setor madeireiro, que tiveram prejuízos com as atividades ilícitas.

Os presos no Pará foram levados para a Delegacia Geral de Polícia Civil, em Belém. Ao todo 68 policiais civis participaram da operação e contaram com o apoio de 20 policiais civis de outros Estados para o cumprimento dos mandados.


A Secretaria de Estado de Fazenda (Sefa) estima que fraude tributária tenha chegado a R$ 50 milhões. Os danos ambientais foram calculados em R$ 23 milhões referentes a mais de 31 mil metros cúbicos de madeira, equivalentes a 5.300 árvores derrubadas ilegalmente.
Publicado por Jornal Folha do Progresso, 

Nenhum comentário:

Postar um comentário