segunda-feira, 20 de junho de 2016

Policial Militar é assassinado em Novo Progresso

sargentoluiz - Cópia
Sgt. João Luiz era considerado um dos melhores profissionais de Itaituba.
João Luiz Maria Pereira, Sargento PM do 15º Batalhão de Polícia Militar de Itaituba, integrante do Grupo Tático Operacional (GTO) foi morto na sexta-feira (17), por volta de 17h30. Segundo informações, o profissional da segurança pública morreu em uma emboscada que teria sido armada por alguns madeireiros do município de Novo Progresso.
De acordo com informações apuradas pela nossa equipe de reportagem, Sgt. João Luiz estava participando de uma missão que era acompanhar e dar segurança aos agentes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA), que estão na região realizando fiscalização junto as madeireiras. O clima está muito tenso no município de Novo Progresso.

Informações dão conta que o GTO de Santarém e de Itaituba estão se deslocando para o município onde o caso aconteceu.
Veja no texto que segue abaixo, relato do que teria acontecido na ocasião da morte do PM, acompanhe:
“Pela parte da tarde do dia 17/06/16, uma GUPM composta pelos Sgt. João Luis, Sgt. Feitosa e Cb. Pereira, todos do 15º BPM, os quais se encontravam em Novo Progresso, em apoio ao IBAMA, estavam em uma vicinal conhecida por Vicinal da Francy, juntamente com 04 agentes do IBAMA, averiguando denúncia de extração ilegal de Madeira em área de preservação ambiental, a uma distância de aproximadamente 100 Km’s da área urbana de Novo Progresso.
Quando por volta das 15h30, encontraram um barraco com mantimentos e alguns materiais utilizados na extração de madeira. Como ninguém foi encontrado no local, os agentes do IBAMA tocaram fogo no barraco e saíram do local. Um pouco à frente uma das viaturas atolou num lamaçal, fazendo com que perdessem uns 30 minutos no local.
Após esse período, resolveram retornar e ao passarem em frente ao barraco, perceberam que o fogo havia sido apagado com água. As viaturas seguiram, parando, mas à frente, e os três militares retornaram para o barraco a pé, no intuito de surpreenderam as pessoas que haviam apagado o fogo. Ao chegarem no barraco, perceberam que um homem saiu do mato e seguiu em direção ao barraco.
Nesse momento o Sgt. João Luís falou que era PM e pediu para o homem parar, sendo que o mesmo não obedeceu à ordem e retornou para o mato. Imediatamente o Sgt. João Luís saiu correndo atrás do homem, com sua arma em punho. Outros dos dois PM saíram na direção em que João Luís seguiu, sendo que João Luís estava bem à frente dos mesmos. Logo em seguida ouviram disparos de arma de fogo e João Luís retornou, dizendo que havia sido baleado. Feitosa e Pereira efetuaram vários disparos na direção em que vieram os disparos que atingiu João Luis e em seguida se preocuparam somente em socorrer o policial ferido. Os PM acreditam que quem atingiu o Sgt. provavelmente foi outra pessoa, que se encontrava no mato, e não o homem que havia fugido.
João Luis foi atingido com um tiro no ombro e outro no pescoço. O policial evoluiu a óbito uns 40 minutos após ser atingido”.
RG 15 / O Impacto com informações de Júnior Ribeiro e Bena Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário