Erguer uma grande hidrelétrica em ecossistemas sensíveis como a Amazônia, como quer o governo brasileiro no Rio Tapajós, teria impactos irreversíveis do ponto de vista econômico e social. A obra também seria um desastre sem proporções para a biodiversidade local. Ao alterar a dinâmica do rio e de suas espécies, podemos colocar em risco não apenas a existência de milhares de animais e plantas, mas também nosso próprio futuro.

Mas mesmo com este conhecimento, o governo e empresas continuam a insistir no projeto. Por isso, ativistas do Greenpeace do mundo todo estão pressionando a Siemens, uma das principais fornecedoras de turbinas do mercado, para que a empresa não participe deste projeto desastroso.

O efetivo da segurança pública no Pará ganhará o reforço de mais de três mil novos profissionais com a realização do concurso da Polícia Civil, cujo edital, que está em fase final de análise jurídica pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), será lançado no próximo dia 12 de julho. Por meio do certame serão ofertadas 650 vagas, sendo 150 para delegado, 300 para investigador, 180 para escrivão e 20 para papiloscopista. 

Na manhã de ontem (6) o distrito de Miritituba ficou chocado com um crime brutal praticado a golpes de arma branca. O corpo foi encontrado por volta das 9 horas no bairro do DNER, próximo a bica, dentro de um matagal. O crime deve ter ocorrido na madrugada. A suspeita é que o crime tenha sido cometido por mais de uma pessoa, incluído Raulison paigô mundurucu, que já esteve no presídio acusado de crime semelhante e por prática de roubo e foi preso nesta manhã pelo policiamento da PM em Miritituba.
Dinheiro recebido da venda ilegal de ouro
Dinheiro recebido da venda ilegal de ouro
A Polícia Federal no Pará realiza uma operação na manhã desta quinta-feira (7), no município de Ourilândia do Norte, sudeste paraense, para desarticular uma quadrilha acusada de comercialização ilegal de ouro extraído da terra indígena dos Kayapó.
Estão sendo cumpridos 11 mandados de prisão preventiva, 14 mandados de busca e apreensão e três mandados de condução coercitiva, todos expedidos pela Justiça Federal de Redenção. Além de Ourilância, a operação também concentra ações na cidade de Porto Nacional, no Tocantins, e em São José do Rio Preto, em São Paulo.
O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) expediram recomendação conjunta aos órgãos públicos responsáveis pela exploração minerária para que adotem medidas coordenadas para desencadear incursão educativa com o fim de legalização das atividades na bacia do Tapajós nas áreas em que a exploração é admitida. Recomendam ainda que deixem de conceder permissões de lavra garimpeira e autorizações ou licenças em áreas reconhecidamente indígenas e de unidade de conservação de proteção integral, como as reservas biológicas, parques nacionais, entre outros.
Lucas é suspeito de ter matado o sargento João Luiz, em Novo Progresso
Lucas é suspeito de ter matado o sargento João Luiz, em Novo Progresso
Um homem suspeito de assassinar o sargento PM, João Luiz Maria Pereira, 45 anos, em junho deste ano, foi morto na manhã desta terça-feira, 05 de junho, no Garimpo do Vietnã, no Município de Novo Progresso, sudoeste do Pará, durante confronto com homens do 15º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Itaituba.
Segundo o cabo PM, Márcio, do 15º BPM de Itaituba, o homem identificado por Lucas Oliveira, foragido da Justiça de Novo Progresso, entrou em confronto com os policiais militares que estão na região e foi morto. O corpo de Lucas está sendo conduzido pra Novo Progresso.
A Polícia Militar informou que reforçou a segurança no município de Novo Progresso, após a morte do sargento do Grupo Tático Operacional (GTO) de Itaituba, João Luiz, durante uma operação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) na área da Flona Jamanxim, uma das zonas mais conflituosas da região, na dia 17 de junho último.